Em primeiro lugar, Raquel Chini também é a mais rejeitada em Praia Grande

Segundo o IPAT, 10,5% dos eleitores não votariam de jeito nenhum na candidata à prefeitura pelo PSDB

A candidata Raquel Chini (PSDB) enfrenta um paradoxo em Praia Grande. Embora seja a campeã na intenção de votos, é também a mais rejeitada na Cidade. Quando o Instituto de Pesquisas A Tribuna (IPAT) perguntou aos eleitores em quem eles não votariam de jeito nenhum para a prefeitura, Raquel teve a maior rejeição: 10,5%. 

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

O coordenador do IPAT, Alcindo Gonçalves, diz, porém, que a rejeição é baixa. “Claro que quem não gosta do Mourão e vai votar nos outros candidatos rejeita a Raquel. Mas rejeição preocupante é acima de 20 pontos. Na verdade, nenhum dos candidatos tem muita rejeição em Praia Grande”.   

Alexandre Cunha (Republicanos) fica na sequência entre os rejeitados, com 8,3%, e Delegado Comin (Pode) vem depois, com 7,2%. A vereadora Janaina Ballaris (PL) teve 6,5%, Danilo Morgado (PSL), 4,5%, e Erika Pedrosa (PRTB), 3%. Jasper Sol (PSOL) aparece com 2,5% e Professor Maurício (PT), 1,5%. 

Era possível apontar mais de um candidato durante o questionamento. Não souberam responder 30%, outros 19,7% não têm rejeição a nenhum deles e 12,5% rejeitam todos.  

O IPAT fez 600 entrevistas na Cidade, no dia 19 de outubro. O registro na Justiça Eleitoral está sob o número de identificação SP-03727/2020. A margem de erro máxima prevista para o total da amostra é de 3,8 pontos percentuais para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%.

Tudo sobre: