Efeito Mourão e alianças políticas: os fatores que podem decidir o segundo turno em Praia Grande

Candidatos Raquel Chini (PSDB) e Danilo Morgado (PSL) ficaram separados por menos de cinco mil votos no primeiro turno

Mesmo não concorrendo às eleições em Praia Grande, o atual prefeito Alberto Mourão (PSDB) tem um desafio: transferir os quase 80% de aprovação da atual gestão para a candidata do partido, Raquel Chini, que disputa o segundo turno contra Danilo Morgado (PSL). Especialistas acreditam que a influência do atual prefeito, aliada a outros apoios, podem definir o pleito na cidade.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal, GloboPlay grátis e descontos em dezenas de lojas, restaurantes e serviços!

Apesar do alto índice de aprovação, grande parte dos votos pode ir para a oposição. É o que aponta o cientista político Alcindo Gonçalves, coordenador do Instituto de Pesquisas A Tribuna (IPAT). Ele acredita que, assim como no primeiro turno, o candidato do Partido Social Liberal deve seguir ‘cavando’ votos de eleitores satisfeitos com Mourão, mas não confiantes em Chini.

Leia mais

>> Raquel Chini detalha planos para PG: 'Vamos dar continuidade a um planejamento que deu certo'

>> Danilo Morgado comenta planos para PG: 'Represento a libertação e esperança por dias melhores'

>> Mourão é recebido com bombas, barricadas e fogo em caminhada na Vila Sônia, em Praia Grande

“Isso aconteceu no primeiro turno e vai acontecer no segundo. A dúvida é se isso vai ser suficiente para elegê-lo. São pessoas que querem renovar, transformar. Não é ele (Mourão) o candidato, e sim, ela (Chini). Aprovação é um ativo importante e valioso para reeleição. Na indicação de um sucessor, perde-se um pouco dessa intensidade”, afirma Alcindo.

No primeiro turno, Raquel Chini teve 39,05% dos votos, contra 35,6% de Danilo Morgado. Na contagem, eles ficaram separados por menos de cinco mil votos: 55.204 contra 50.317. Brancos e nulos somaram 10,64%, enquanto as abstenções superaram 30%.

Terceiro colocado com 12.001 votos (8,49%), Alexandre Cunha, do Republicanos, decidiu apoiar a candidata do PSDB, enquanto Janaína Ballaris (PL) e Erika Pedrosa (PRTB) declararam apoio ao postulante do PSL. Os demais candidatos (Delegado Comin, Professor Maurício e Jasper Sol) optaram pela neutralidade.

Para o cientista político Fernando Chagas, o apoio de Alexandre Cunha, que já foi duas vezes vereador e vice-prefeito de Praia Grande, além de ter ocupado a presidência da Câmara Municipal, pode ser fundamental para Raquel Chini.

“Vejo o Alexandre Cunha com mais peso em transferir votos do que as outras candidaturas. Não vejo tanta força nas outras candidaturas. O Cunha tem uma história em Praia Grande, um eleitorado fixo, que pode seguir sua orientação”, afirma Chagas, que também avalia a influência que o prefeito Alberto Mourão pode exercer.

“O mais importante será a atuação do prefeito Alberto Mourão. Vai depender de ele dar um impulso maior para a Raquel Chini. Se não conseguir, com a trajetória que o Danilo Morgado vinha tendo, ele pode surpreender no segundo turno. Ele (Mourão) precisa transformar a aprovação de sua administração em votos para a Raquel Chini. Sozinha, ela não consegue deslanchar para ganhar a eleição”, afirma Chagas.

Legado

Alberto Mourão finaliza em 2020 o quinto mandato como prefeito de Praia Grande, cidade a qual também já foi vereador, presidente da Câmara, vice-prefeito e Secretário Municipal de Educação. Durante os quase 40 anos de carreira política, ele também foi deputado federal pelo estado de São Paulo. 

Para Chagas, a opção por Danilo Morgado tem predominância entre os novos moradores de Praia Grande, que mesmo aprovando a gestão de Alberto Mourão, não acompanharam as gestões passadas e as mudanças que a cidade passou. Atualmente, a população do município está estimada em 330.845 pessoas (IBGE), sendo 226.260 eleitores, conforme divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) 

“O pessoal que está chegando agora em Praia Grande não viu a transformação da cidade, não viu o município antigamente. Por isso, não tem tanta afinidade com o Mourão. Pegaram a cidade pronta e avançada. Há uma mudança geracional no município. Os novos eleitores não têm vínculo com o passado do Mourão. Quanto mais a cidade cresce, mais dificuldades ele vai ter”, afirma o cientista político.

O segundo turno das eleições municipais em Praia Grande acontece neste domingo (29).

 

Tudo sobre: