Candidatos à Prefeitura de São Vicente discutem projetos para Saúde

Os oito pleiteantes ao Executivo conversaram com A Tribuna e contaram propostas à cidade

A menos de um mês para o primeiro turno das Eleições 2020, os oito candidatos à Prefeitura de São Vicente expuseram suas opiniões sobre a Saúde do município e revelaram planos de governo para caso assumam a principal cadeira do Executivo a partir do ano que vem.

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Entre os pleiteantes, é unanimidade a urgência de reforçar a rede pública vicentina, além de reorganizar e fortalecer o atendimento ao morador em todos os equipamentos.

Parte dos candidatos também fala em reverter o funcionamento do novo pronto socorro da cidade, entregue recentemente pela atual gestão, porém ainda não ativo. O espaço na Vila São Jorge preocupa, segundo alguns concorrentes, pela dificuldade de acesso, riscos de alagamento e custos - já que a manutenção mensal com salário de servidores estaria fora do orçamento.

Outros ainda citam projetos para valorizar o servidor - de modo a estimular melhor atendimento ao munícipe - e oferecer horários alternativos para aliviar filas em exames e consultas. Confira as propostas dos candidatos:

Anália Silva (PT)

Defender o SUS; promover igualdade de servicos na Ilha e Área Continental; tornar os equipamentos de Saúde atrativos a todos; oferecer horários alternativos; reestruturar a ouvidoria; valorizar o funcionalismo público; contratar médicos; informatizar procedimentos; pleitear hospital regional com SAMU metropolitano; criar centro de diagnóstico.

Kayo Amado (Podemos)

Melhorar a estrutura de cada unidade de saúde; focar no atendimento básico e preventivo; promover gestão eficiente e humanizada; direcionar serviço com prioridade ao cidadão que mais precisa; atuar nos postinhos de bairro; melhorar a gestão de cada unidade; verificar se os novos equipamentos à disposição não têm valores abusivos para ativar funcionamento.

Luís Claudio Bili (PTB)

Cancelar parcerias Público-Privada para os novos pronto-socorros na Vila São Jorge e Jardim Rio Branco; encontrar nova localização para equipamento nos entornos de Jóquei Clube, Vila Fátima, Cidade Náutica e Tancredo Neves; articular com demais prefeituras unidade hospitalar Regional; fortalecer parceria com o Hospital São José.

Luiz Carlos Gianelli (PSD)

Descentralizar ações de Saúde Pública, investindo em UBSs; ofertar atendimento mais acolhedor; estruturar postos com frequência regular de profissionais; atuar na saúde preventiva de modo a diminuir necessidade da medicina curativa e, consequentemente, enxugar despesas operacionais.

Mônica Batalha (PRTB)

Buscar Santa Casa para São Vicente; aprimorar atendimento de urgência e emergência nas unidades já ativas; desafogar vagas por leitos; corrigir atendimentos nas UBSs; aumentar a oferta de profissionais nas especialidades; reduzir as filas; reescrever programa de medicina preventiva; desonerar urgência e emergência.

Pedro Gouvêa (MDB)

Continuar investindo em estruturas para atendimento de Saúde; projetar pronto-socorro para a Avenida Ulisses Guimarães, no Jardim Rio Branco; duplicar capacidade de leitos; tirar pronto-socorro de dentro do Hospital Municipal; ampliar Hospital Municipal construindo anexo; evoluir patamar da Saúde vicentina.

Solange Freitas (PSDB)

Trazer para São Vicente ideias como “corujão da Saúde”; instituir parcerias com clínicas privadas para atender demanda em horário noturno; informatizar sistema de agendamento de consultas; fortalecer equipe de especialistas, principalmente para a saúde da mulher, com ginecologistas em consultório e agilidade para exames.

Valquirio Martins (Solidariedade)

Corrigir sistema, para que São Vicente atenda demandas internas, evitando deslocamento dos pacientes a cidades vizinhas; ampliar relacionamentos público-privados; reforma geral nas estruturas de UBSs e pronto-socorros; meta na Saúde primária; educar população para usar equipamentos corretamente, gerando economia aos cofres.

Tudo sobre: