Candidatos à Prefeitura de Praia Grande divididos com resultado do IPAT

Líderes celebram pesquisa enquanto que os piores colocados tecem críticas

Os primeiros colocados no mais recente levantamento do Instituto de Pesquisas A Tribuna (IPAT) sobre intenções de voto para a Prefeitura de Praia Grande, noticiado na edição de quinta-feira (22), demonstraram satisfação com o resultado. Concorrentes menos citados dizem preferir esperar o resultado das urnas, em 15 ou 29 de novembro – neste caso, se houver segundo turno na cidade.

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Com 29,6% das indicações, a candidata Raquel Chini atrela sua imagem à do prefeito Alberto Mourão (ambos do PSDB). “A tendência é que cada vez mais eleitores conheçam minha trajetória e o trabalho desenvolvido ao longo dos últimos anos ao lado do Mourão, que trouxeram a evolução do município”.

Em segundo lugar, concorrente do Podemos, Delegado Comin comemora seus 11,9%. “Fiquei muito surpreso e feliz de estar em segundo lugar nas pesquisas. Seguiremos firmes na campanha até o dia das eleições”.

Com 7,8%, o republicano Alexandre Cunha confia em sua campanha e pretende manter as estratégias. “Continuo acreditando e trabalhando todos os dias”.

Danilo Morgado (PSL), com 5,8%, afirma que a pesquisa mostra seu crescimento. “Em reta final, (tenho) certeza de que iremos ao segundo turno. A Cidade tem percebido que precisa de mudanças, precisa crescer de verdade.”

O petista Professor Maurício comemora seu avanço – de 0,7% para 0,9%, ainda em sexto lugar – e avalia que eleitores antes indecisos começam a definir seus candidatos. “Vamos continuar trabalhando para a população que mais precisa”.

Erika Lopes (PRTB), oitava colocada, com 0,3%, pretende intensificar as campanhas visitando bairros e expondo projetos por redes sociais. “Trabalhamos para poder financiar a campanha com esforço próprio”.

Contestações

Janaína Ballaris (PL, quinto lugar, com 4,1%) e Jasper Lopes (PSOL, sétimo, com 0,7%) discordam do resultado da pesquisa.

“Mais uma vez, a pesquisa publicada se afasta completamente da realidade que temos visto nas ruas ao longo dos últimos dias, quando nossa candidatura tem crescido sensivelmente em todas as regiões da Cidade e junto a todos os eleitores”, afirma ela.

“As pesquisas acabam influenciando enormemente o eleitor incauto, que é muita gente, e (este) acaba cumprindo o papel de tolo por acreditar no chamado voto útil”, diz Lopes.

Tudo sobre: