Bertioga falha na infraestrutura dos bairros; acessibilidade passa longe

Fora das avenidas principais, calçadas e ruas são impedimento na locomoção do morador

Moradora do Jardim São Rafael, em Bertioga, a diarista Vanize Pereira Souza, 39 anos, deixa o bairro todo dia rumo à zona Norte para trabalhar em casas na Riviera. No trajeto, de cerca de 40 minutos, observa a diferença de infraestrutura bairro a bairro.

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

“Quanto mais perto da Riviera, mais bem cuidado. Principalmente onde passa o turista ou onde fica a área mais nobre da cidade. Até no aspecto iluminação pública e pavimentação das vias”, lembra ela.

Mãe de uma criança de cinco anos com paralisia cerebral, Vanize conta as dificuldades de conduzir um cadeirante pelo município. “As calçadas são quebradas e sem qualquer acesso por rampa. Para tudo, tenho de erguer a cadeira e carrega-lo no colo. Pelo meio da via, tenho de ficar contornando os buracos, que são inúmeros em todo o Jardim São Rafael”.

Já no transporte público, a moradora questiona a dificuldade em embarcar o filho nos ônibus, maioria com os elevadores quebrados. “Muitas vezes o motorista vê que tem necessidades especiais e vai embora sem ao menos nos dar acesso”.

Rio da Praia

A professora e jornalista Rosângela Ribeiro, 43, mora no Rio da Praia e também tem um filho com paralisia cerebral, de 3 anos. A munícipe também alerta para a necessidade da revisão no transporte. “Não há transporte alternativo legalizado e a Viação Bertioga não atende bem. São poucas linhas e os itinerários confusos Fica difícil a quem depende do ônibus para estudar e trabalhar. Moradores de Boraceia, Guaratuba e São Lorenço, por exemplo, sofrem bastante por conta da distância”.

Sobre pavimentação e infraestrutura, Rosângela afirma que Bertioga tem avançado na questão, mas ainda não alcançou os bairros periféricos. “Vejo o assunto como primordial, pois interfere diretamente em outros tópicos de grande importância, como mobilidade, saúde e turismo, sendo este último nossa principal fonte de emprego e renda”.

Obras

A Secretaria de Obras e Habitação de Bertioga informa que mais de R$ 98 milhões estão sendo investidos pela municipalidade, num total de 66 obras, com destaque para a reurbanização das praças Potengui, Aldo Moro e Primavera.

Em execução: drenagem e pavimentação em Indaiá e Boraceia; reurbanização da orla no Rio Da Praia e Vista Linda; Revitalização e Ciclovia da Avenida Anchieta; Construção de galerias, microdrenagem.

Já concluídas: drenagem no Jardim Veleiros, revitalização da Praça Emancipadores; infraestrutura, drenagem e pavimentação na Vila Agaó II, drenagem no Centro, entre outros.

Acessibilidade no transporte

A Viação Bertioga, que teve o contrato encerrado no último dia 14, afirma ter sido a primeira empresa de transporte público no Brasil a ter a totalidade da frota adaptada com acessibilidade em maio de 2009. Como protocolo para saída do ônibus, cumpre ao nosso colaborador verificar as condições do elevador, nenhum carro sai sem que o sistema esteja em funcionamento.

Tudo sobre: