Artigo: Por que ser prefeito? Pelo candidato a prefeito de São Vicente Luis Cláudio Bili

Candidato pelo PTB conta por que decidiu concorrer à vaga de chefe do Executivo de São Vicente

Luis Cláudio Bili
Cidade: São Vicente
Partido: PTB
Número 14

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

A verdade em São Vicente

Desejo ser prefeito de São Vicente novamente porque, diante de tantos absurdos cometidos pela atual gestão, me senti na obrigação de voltar para promover um diálogo franco e aberto.

Quero aproveitar a oportunidade também para passar a limpo todas as polêmicas e fake news das quais fui vítima, revelando toda a verdade do que ocorreu nos bastidores quando ocupei a cadeira mais importante da Cidade, no período entre 2013 e 2016.

Como todos sabem, fui realmente perseguido por um grupo político que me prejudicou das mais diversas formas. Tudo começou quando venci as eleições de 2012, derrotando o filho do futuro governador do Estado. Imaginem só a influência que ele tinha sobre a cidade.

Barrou a construção do hospital regional, atrasou a entrega dos conjuntos habitacionais e não enviou recursos estaduais ao município - vale lembrar que ele gerenciou, em quatro anos, R$ 1 trilhão.

No final do meu mandato, o cunhado dele lançou a sua candidatura para a Prefeitura, em 2016. Durante a campanha, apresentou uma revista com diversas promessas que transformariam São Vicente em "Dubai", além de prometer R$ 10 bilhões, que seriam destinados para a Cidade. Tive vergonha na cara e não tentei a reeleição, pensando no melhor para o povo vicentino.

A única coisa que a Cidade faturou nesses últimos quatro anos foi uma enorme dívida. O atual prefeito fez um empréstimo no valor futuro de R$ 60 milhões, onde o vicentino terá que pagar, durante nove anos, R$ 650 mil por mês.

Além de outros débitos, como a PPP dos prontos-socorros, no valor de R$ 4 milhões por ano, fora os RH/ insumos, a dívida trabalhista com a Codesavi e R$ 35 milhões com a coleta de lixo.

Não posso permitir que a Cidade continue desta forma nem que o povo vicentino caia no papo de candidatos sem experiência, apresentando propostas ilusórias. Com os pés no chão, dentro da nossa realidade, sem falsas promessas, de forma simples e objetiva, vamos planejar e oferecer o melhor para o Município.

Um dos meus compromissos é lançar a Plataforma das Conquistas, onde os munícipes terão um login e senha para acompanhar mensalmente as arrecadações do seu bairro. Pretendo transformar os bairros da cidade em condomínios. O prefeito fará o papel de zelador e os munícipes terão a função de síndicos.

No meu governo, serão apenas dez secretarias, 50 cargos comissionados e 50 de carreira (concursados). Iremos implantar e implementar o ISO 9001 em todas as secretarias. #averdadevaiprevalecer

Tudo sobre: