Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

São Vicente tem manifestação de comerciantes contra a paralisação

As pessoas seguiram com protesto até a prefeitura na tarde desta sexta (12), mas não conseguiram ser recebidos pelo prefeito

Por: Por ATribuna.com.br  -  12/03/21  -  22:32
Comerciantes queriam solicitar ajuda para poder trabalhar ao menos na fase laranja
Comerciantes queriam solicitar ajuda para poder trabalhar ao menos na fase laranja   Foto: Arquivo Pessoal

Várias pessoas se uniram na tarde desta sexta-feira (12), para protestar contra o fechamento do comércio e as dificuldades impostas pela fase emergencial do Plano São Paulo. "Não é o comércio o grande responsável pela disseminação do coronavírus. É mais a fila de bancos, o transporte público e por aí vai. O comerciante toma os cuidados e segue os protocolos de Saúde", diz Merre Arabi, organizador do protesto.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Para ele, as dificuldades são ainda maiores que no ano passado, quando havia algum incentivo por parte do Governo Federal, coisa que não ocorre neste ano. "Daria para trabalhar, nem que fosse na fase laranja", completou.


Os manifestantes seguiram até a prefeitura de São Vicente, e tentaram ser recebidos por Kayo Amado (Podemos), mas não obtiveram sucesso. "O que custa o prefeito ao menos nos ouvir? Em vez disso fechou a janela e enviou a Guarda Municipal. Como somos do bem, e só queríamos conversar, explicamos e os agentes voltaram para dentro para explicar, e a resposta foi que um assessor viria nos ouvir, mas ao chegar no local, esse assessor conversou com a guarda, e todos nos deram as costas", afirmou Arabi.


Em nota, a prefeitura disse que "respeita a liberdade de manifestação das pessoas, mas esclarece que o Município segue as determinações do Plano SP, do Governo do Estado". A administração Municipal disse ainda que segue atenta aos impactos econômicos gerados em razão das medidas restritivas.


A nota diz ainda que a prefeitura "estabeleceu através de decreto algumas medidas de incentivo tributário, como a prorrogação dos vencimentos de ISSQN e IPTU de atividades comerciais não essenciais, já lançados de forma parcelada, referentes aos meses de março e abril do exercício de 2021, que podem ser pagos até 31 de dezembro de 2021, sem a incidência de multa ou juros de mora".


Além disso, houve isenção de pagamento da Taxa de Vigilância Sanitária de 2021 aos estabelecimentos comerciais. "Aos estabelecimentos que já pagaram a taxa em 2021, os valores serão compensados em 2022. A iniciativa deve beneficiar 2.983 contribuintes vicentinos", finaliza a nota.


Logo A Tribuna