Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Protesto em São Vicente contra fase vermelha gera trânsito e revolta: 'Falência do comércio'; VÍDEO

A concentração do movimento Juntos pelo Comércio foi marcada na Avenida Antônio Emmerick, na divisa com Santos

Por: Rosana Rife  -  05/03/21  -  14:24
Atualizado em 05/03/21 - 15:11

Comerciantes de São Vicente decidiram protestar na manhã desta sexta-feira (5) contra o fechamento de lojas e demais estabelecimentos definido pela adoção da fase vermelha, em todo o Estado, durante os próximos 14 dias. O primeiro dia de portas fechadas está marcado para este sábado (6). 


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A concentração do movimento Juntos pelo Comércio foi marcada na Avenida Antônio Emmerick, na divisa com Santos. Pelo menos 20 carros estavam no protesto. Daqui, eles seguem, em carreata, até a  Avenida Presidente Wilson, as ruas Tibiriçá e Frei Gaspar, encerrando o movimento na Praça Barão do Rio Branco. Motoristas devem tentar evitar o trecho, pois o trânsito está intenso no local. 


Protesto foi marcado na Avenida Antônio Emmerick, em São Vicente.
Protesto foi marcado na Avenida Antônio Emmerick, em São Vicente.   Foto: Carlos Nogueira/AT

O objetivo é chamar a atenção da sociedade para a situação do setor e abrir um diálogo com a Prefeitura em busca de uma alternativa para os lojistas.


O líder do movimento, o comerciante Merre Arabi, diz que a situação ficará insustentável para o setor se eles não puderem trabalhar. "Hoje a água está quase batendo no nariz. Com esse fechamento, a gente vai acabar se afogando. Porque as mercadorias estão subindo, os impostos e insumos também. Então, fechar 15 dias, agora, é decretar a falência do comércio".


Eles querem uma reunião com o prefeito Kayo Amado (Pode) para discutir possíveis alternativas que não seja manter lojas fechadas nas próximas semanas.


"São Vicente é sustentada pelo comércio. A única fonte de sobrevivência da Prefeitura é o comércio. Então, o prefeito não pode acatar isso. E todo o Estado deveria fazer o mesmo. Precisamos mudar isso e vamos lutar",  diz Merre Arábia.


Comerciantes protestam contra as restrições da fase vermelha
Comerciantes protestam contra as restrições da fase vermelha   Foto: Carlos Nogueira/AT

Logo A Tribuna