Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Prefeitura de São Vicente retoma Plano de Mobilidade

Uma pesquisa busca mapear o perfil dos seus deslocamentos na Cidade antes e durante a pandemia da covid-19

Por: Por ATribuna.com.br  -  19/02/21  -  19:44
Atualizado em 19/02/21 - 20:12
São Vicente terá reajuste de 3,97%; Mongaguá fixou 4,56%, o maior índice da região
São Vicente terá reajuste de 3,97%; Mongaguá fixou 4,56%, o maior índice da região   Foto: Alberto Marques/Arquivo/AT

A Prefeitura de São Vicente retomou as etapas participativas doPlano de Mobilidade e Acessibilidade Urbananesta sexta-feira (19).


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Uma pesquisa busca mapear o perfil dos seus deslocamentos na Cidade antes e durante a pandemia da covid-19, analisando o que mudou e o que permanece. A população vicentina poderá fornecer informações sobre como se desloca na Cidade, na condição de pedestre, ciclista, condutor de veículos motorizados, usuário de transporte público, portador de necessidades especiais, entre outras modalidades de transporte, tanto na Área Insular como na Área Continental.


Os munícipes podem responder ao formulário pelo link no Google Forms. O questionário permitirá identificar o perfil dos munícipes e as reais necessidades da população.


O Plano de Mobilidade é conduzido pela Secretaria de Projetos Especiais (Sepes) em parceria com a Secretaria de Trânsito e Transportes (Setrans). “A mobilidade é um dos principais itens a serem melhorados na Cidade e estamos começando a fazer isso de forma planejada e participativa”, afirma o secretário da Sepes, Alexsandro Ferreira.


O projeto foi iniciado em julho de 2020, mas não foi realizado o processo participativo e a pesquisa de mobilidade urbana. No começo do ano a Prefeitura deu o pontapé para retomar as conversas e iniciar a comunicação com a população para realizar o levantamento.


O projeto é financiado pela Agência Metropolitana da Baixada Santista (AGEM), sendo obrigatório para municípios com mais de 20 mil habitantes, que integram regiões metropolitanas e aglomerações urbanas, e aqueles que se encontram em áreas de especial interesse turístico ou de significativo impacto ambiental.


Logo A Tribuna