Obras históricas passam por trabalhos de restauro em São Vicente

Monumento em homenagem a José de Anchieta, na Biquinha, e estátua de Benedicto Calixto são recuperadas com apoio de jovens

Por: Fernando Degaspari & Da Redação &  -  06/12/18  -  09:58
Azulejos e postes de ferro fundido da Praça da Biquinha fazem parte do trabalho de restauro
Azulejos e postes de ferro fundido da Praça da Biquinha fazem parte do trabalho de restauro   Foto: Carlos Nogueira/AT

O monumento que homenageia o padre José de Anchieta, na Biquinha, em São Vicente, logo estará recuperado. A praça deve ser entregue, revitalizada, em julho próximo. A estátua do artista plástico Benedicto Calixto, na Praça 22 de Janeiro, também é restaurada. De longe, o painel de azulejos, que mostra o padre catequizando índios em 1553, não parece desgastado. Mas, de perto, dá para ver bem a sujeira e os buracos na cerâmica.


“A gente vai dar o retoque sem perder a originalidade da arte”, explica o restaurador Leonardo Branco, responsável pelo trabalho.


Inaugurada em 1947, a pintura é dos irmãos Waldemar e Armando Moral Sendin, que nasceram no Rio de Janeiro, mas vieram bem jovens para Santos para que Waldemar pudesse estudar na Faculdade de Belas Artes, em São Paulo.


“A Biquinha é um dos principais referenciais de patrimônio afetivo da Cidade. Todo mundo tem uma história na Biquinha. Temos quadros de Benedicto Calixto sobre ela, fotos do século 19 e uma série de cartões-postais”, afirma Marcos Atanásio Braga, historiador e diretor de Equipamentos Culturais da Secretaria de Cultura de São Vicente.


Ao custo de R$ 490 mil, com verba do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos (Dadetur), a praça teve, também, instalação de drenagem, substituição das pedras por piso de concreto, iluminação, paisagismo, colocação de mobiliário urbano e bicicletário. Faltam a instalação de deque de madeira para acesso ao cruzeiro e rampa de acessibilidade.


Outras restaurações


Os postes de iluminação fabricados em ferro fundido, que ficam em frente à fonte, estão ganhando cara nova. Depois de receberem camadas de tinta nos últimos anos, são lixados para retornar ao aspecto original, cheio de detalhes.


O trabalho está sendo executado por Branco e por alunos do Jovens em Exercício do Programa de Orientação Estadual (Jepoe). Um deles é Douglas Lima do Nascimento, de 17 anos, que fez o curso de restaurador enquanto terminava Ensino Médio.


“Eu, que não tinha experiência nenhuma de trabalho, adquiri conhecimento. Principalmente a História. Eu não conhecia nada sobre o Benedicto Calixto, por exemplo. A Biquinha mesmo tem tanta coisa que eu nem sabia que existia”, comenta.


Outra mudança será a placa de bronze que marca a inauguração da Biquinha. A peça será substituída por outra, em resina. A aparência é idêntica, mas evitará furtos, pois o material tem alto valor no mercado paralelo.


Na Praça 22 de Janeiro, a estátua de Calixto, esculpida por Serafim Gonzalez, é o principal alvo da equipe. Branco teve de refazer os dedos do pintor, quebrados por vândalos. A recuperação da praça custou R$ 1,5 milhão em verba municipal.


Logo A Tribuna