Falta de gerador em UPA revolta moradores de São Vicente: 'Absurdo'; VÍDEO

Queda de energia na Unidade de Pronto Atendimento do Parque das Bandeiras obriga pacientes a voltarem para casa para aguardar atendimento

Por: Ágata Luz  -  01/02/21  -  09:44
Em queda de energia, pacientes precisam procurar outra unidade de saúde ou aguardar energia voltar
Em queda de energia, pacientes precisam procurar outra unidade de saúde ou aguardar energia voltar   Foto: Arquivo Pessoal

Ao acompanhar um paciente com amigdalite, o morador André Mateus Correia, de 38 anos, foi surpreendido com falta de estrutura da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque das Bandeiras, em São Vicente.


Após atendimento médico, o paciente - que prefere não se identificar - precisava tomar medicação. Porém, uma queda de energia na última semana impossibilitou que a unidade de saúde medicasse a população que aguardava atendimento. Indignado com a situação, André Mateus questionou a falta de um gerador no local e enfermeiras confirmaram que a UPA não possui o equipamento.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


"Voltamos para casa e ficamos ligando de 15 em 15 minutos para o hospital para saber se a energia tinha voltado", explica André, que retornou até a unidade por volta das 21h, quando a energia (que havia caído às 19h) voltou.


"É um absurdo qualquer equipamento de saúde, em atendimento ao público, não ter gerador para os devidos atendimentos. Imaginem numa situação de emergência", lamentou André. Ainda segundo a testemunha, pacientes que chegaram no momento da queda de energia estavam sendo direcionados para o Pronto Socorro do Humaitá.


O problema preocupa os moradores em relação a casos de emergência. "Será que daria tempo do direcionamento para outro local?", relatou André. O episódio causou grande indignação por parte do municípe que se colocou no lugar dos pacientes.


Resposta


Procurada porATribuna.com.br,a Prefeitura de São Vicente não se manifestou até a publicação desta reportagem.


Logo A Tribuna