Bônus para educadores é aprovado na Câmara de São Vicente

Projeto do Executivo só depende de sanção do prefeito Kayo Amado (Pode) para valer

Por: Rafael Motta e equipe  -  26/10/22  -  15:49
Projeto foi pautado nesta terça-feira (25) na Câmara de São Vicente
Projeto foi pautado nesta terça-feira (25) na Câmara de São Vicente   Foto: Luigi Bongiovanni/Arquivo/AT

Pautado nesta terça-feira (25) na Câmara de São Vicente, votado em duas discussões e aprovado no mesmo dia de forma unânime, um projeto do Executivo só depende de sanção do prefeito Kayo Amado (Pode) para valer: é o que visa a criar um programa de premiação a profissionais do magistério e destinação de bens e serviços aos colégios da rede municipal.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Os valores dos incentivos não estão detalhados, mas haverá pagamentos a professores titulares, adjuntos e servidores de suporte pedagógico e do magistério, desde que em exercício efetivo.


Entre os critérios para se premiarem profissionais e se enviarem itens aos colégios — também não especificados no projeto —, estarão cumprimento de metas pedagógicas, dos dias letivos, registro de frequência dos alunos e participação de cursos de aperfeiçoamento.


A rapidez com que a proposta tramitou na Casa fez o vereador Joseval Bezerra, o Jabá (PL), dizer que gostaria de estudá-la antes. Bastou isso para que sofresse uma consequência.


Jabá relatou em plenário que tem dois números de celular: um “no grupo dos vereadores” e outro, particular, que apenas o prefeito, “vocês que são autoridades” (dirigindo se aos colegas) e a família dele conhecem. Este último número vazou “na rede municipal de ensino” e houve “mais de mil pessoas me chamando”, acusando-o de ser contra professores. “Sou formado em Pedagogia”, alegou. E votou a favor.


Logo A Tribuna
Newsletter