X-9 homenageia Adoniran Barbosa na passarela Dráusio da Cruz

A pioneira teve fantasias homenageando as composições mais conhecidas do músico

Por: Verônica Sampaio & De A Tribuna On-line &  -  24/02/19  -  05:54
X-9 homenageou Adoniran Barbosa com fantasias, enredo e carros alegóricos temáticos das composições do músico
X-9 homenageou Adoniran Barbosa com fantasias, enredo e carros alegóricos temáticos das composições do músico   Foto: Vanessa C. Rodrigues/AT

Grande campeã do Carnaval Santista, a X-9, foi a quinta escola a entrar na Avenida Dráusio da Cruz. A pioneira desfilou durante 53 minutos, tendo entrado com sete minutos de atraso. O enredo trazido pela agremiação esse ano foi “Adoniran Barbosa em: Crônicas da vida – Resiste o Samba; Renasce o artista” ilustrando a história de Adoniran Barbosa, considerado o pai do samba paulista pelo trabalho como compositor e cantor.


Adoniran Barbosa foi retratado de diferentes formas durante o desfile da X-9
Adoniran Barbosa foi retratado de diferentes formas durante o desfile da X-9   Foto: Vanessa C. Rodrigue/AT



Uma das alas homenageou o time de futebol Corinthians, que tinha Adoniran Barbosa entre seus torcedores. Diversas temáticas de composições do músico, também foram homenageadas em fantasias, como “Tiro ao Álvaro”, “As Mariposa” e “Trem das Onze”. Bairros da cidade de São Paulo também foram destacados na apresentação. Com 1800 componentes e 15 alas, a escola desfilou as cores verde, vermelho e branco.


Fantasias de alvos fizeram referência à música
Fantasias de alvos fizeram referência à música "Tiro ao Álvaro", composta pelo músico homenageado   Foto: Vanessa C. Rodrigues/AT



Joaquim Francisco Ferreira, de 70 anos, conta que desfila pela escola desde 1965. Ele já foi ritmista e agora é da velha guarda. “Achei a escola muito boa, bem compacta. X-9 é garra, é ritmo. Todo ano vem cantando, animados. É muito lindo”, disse. Ele, que espera desfilar ano que vem, conta que mora no Saboó, em Santos. “Se Deus quiser, ano que vem vou estar aqui de novo. Minha mulher desfila também, ela sai na ala do presidente”, comentou.

Para ele, a escola estava muito linda. Ritmista por 48 anos, ele diz que a escola toca dentro do coração. “Tenho muita expectativa, viemos bem. É a escola do povão”.


Logo A Tribuna