Votação para prefeitura de Santos deve ser a 1ª sem mulheres desde 1992

Naquela ocasião, cinco homens disputaram o poder: David Capistrano (PT, eleito), Vicente Cascione (PDS), Beto Mansur (PDT), Oswaldo Justo (PMDB) e Koyu Iha (PSDB).

Após a deputada federal Rosana Valle (PSB) negar a intenção de concorrer ao Executivo, o eleitor santista está próximo de, pela primeira vez desde 1992, não ter a opção de escolher uma mulher para o comando da Cidade. Naquela ocasião, cinco homens disputaram o poder: David Capistrano (PT, eleito), Vicente Cascione (PDS), Beto Mansur (PDT), Oswaldo Justo (PMDB) e Koyu Iha (PSDB).

Nos pleitos, sempre houve a participação de, ao menos, uma integrante do sexo feminino e, em 2008, elas foram três, contra dois homens. A ex-prefeita e hoje vereadora Telma de Souza concorreu ao Executivo em 1996, 2000, 2004 e 2012.
Em 2008, participaram da corrida eleitoral Maria Lúcia Prandi (PT), Mariângela Duarte (PSB) e Eneida Koury (PSOL), que concorreu também em 2012. Em 2016, Carina Vitral (PCdoB) e Débora Camilo (PSOL) buscaram o Executivo.

A coordenadora do curso de Ciências Sociais da Unimes, Syntia Pereira Alves, relembra que as mulheres representam a maioria do eleitorado brasileiro.

Em Santos, 55,3% das 341.867 aptas a votar, ou seja, 189.018 são do sexo feminino. “Por conta desse histórico, Santos era uma exceção antes, mas agora a Cidade passa a registrar o que ocorre na maioria do País, ou seja, a ausência de candidaturas femininas ao Poder Executivo”, analisa.

Tudo sobre: