EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

5 de Agosto de 2020

Viaduto da entrada de Santos deve ser entregue em agosto

Uma das principais construções no pacote de obras, ele ligará as avenidas Nossa Senhora de Fátima e Martins Fontes

O novo viaduto em curva, que ligará as avenidas Martins Fontes e Nossa Senhora de Fátima, na entrada de Santos, será entregue em agosto, segundo a Prefeitura. Uma das principais construções no pacote de obras, ele estava previsto para este mês, mas não ficou pronto.  

O projeto elimina o semáforo na entrada da Cidade para dar fluidez ao trânsito. Com início na Martins Fontes, cria uma rota exclusiva para quem vai sentido Zona Noroeste. O motorista que chega pela Via Anchieta passa por baixo dele.  

“Toda a estrutura está pronta, estamos avançando nas pistas dois e três da Martins Fontes, com trabalho e drenagem, como já fizemos nas extremidades, na um e na quatro. Nos próximos 60 dias a gente entrega o viaduto e a avenida remodelada. Em agosto está liberado para circulação”, afirma o prefeito Paulo Alexandre Barbosa.  

Etapas da obra 

O projeto da Nova Entrada de Santos tem cinco etapas, que estão sendo feitas ao mesmo tempo pela Prefeitura e pelo Governo Estadual. O valor passa de R$ 700 milhões. Os serviços incluem pavimentação, drenagem, iluminação e implantação de ciclovias e passarelas e ampliação a ponte da Rua Júlia Ferreira, no Chico de Paula. Mas as obras de maior relevância são a ponte sobre Rio São Jorge e quatro viadutos.  

O primeiro foi entregue pela Administração Municipal em novembro de 2019: o viaduto Anchieta, na Alemoa, com 410 metros de extensão para veículos que chegam na Cidade pela rodovia. Outros dois são de responsabilidade do Estado e estão sendo construídos pela concessionária Ecovias. 

Um deles é o viaduto do Piratininga, que ligará a Avenida Bandeirantes à marginal da Anchieta e Pista Sul. O outro, cria uma alça de saída da Alemoa industrial para a Anchieta. Ambos já deveriam estar prontos, conforme cronograma anunciado, em abril. A Ecovias informa que “estão previstos para serem concluídos no início do segundo semestre”. 

Já a ponte sobre Rio São Jorge interligará a Rodovia Anchieta (São Manoel) à Zona Noroeste (Bom Retiro), prevista para setembro, deve ficar pronta agora em novembro. Do lado da Zona Noroeste, ela fará a ligação com a nova Avenida Beira-Rio, também em construção. 

“A avenida está em estágio avançado, tem um quilômetro de extensão e nosso objetivo é entregá-la em setembro, fazendo a conexão entre bairros importantes da Zona Noroeste, num primeiro momento, até a ponte ficar pronta. As muretas serão iguais às da Ponta da Praia. Será a maior e mais bela avenida da Zona Noroeste", diz Barbosa.  

O prefeito afirma que 75% de todas as obras na entrada da Cidade estão concluídas e que até o final de 2020 esses grandes acessos estarão prontos, restando para 2021 conclusão de drenagem e pavimentação de alguns trechos. A Prefeitura assinou um financiamento de mais R$ 60 milhões com a Caixa Econômica Federal, na semana passada, para essa finalização.  

Solução para enchentes 

Os trabalhos de drenagem da Prefeitura não serão suficientes para acabar com as enchentes na entrada da cidade. Uma obra é fundamental: uma estação elevatória no fim da Anchieta. De responsabilidade de Estado e com execução prevista pela Ecovias, por ser em uma área de concessão, essa espécie de piscinão já deveria estar em fase de conclusão. Mas não começou, mesmo com projeto pronto.  

Em 30 de novembro de 2019, quando esteve em Santos, o vice-governador, Rodrigo Garcia, prometeu que o contrato para o serviço seria assinado em fevereiro deste ano. “A ideia é fazer o casamento dessas entregas (de todas as obras), para evitar problemas nos períodos de chuvas”, afirmou naquela data.  

Procuradas, a Agência de Transporte do Estado (Artesp) e a Ecovias mandaram respostas iguais. “A estação elevatória contra enchentes faz parte do pacote de obras que compõem a segunda fase de reformulação da Entrada de Santos. O projeto foi executado pela Ecovias e está sendo analisado sob o aspecto econômico pela Artesp”. Não foi informado prazo.  

 
 

Tudo sobre: