Vereador Benedito Furtado divulga laudo negativo para Covid-19

Vereador de Santos teve teste rápido positivado na terça-feira (4), ocasião em que 42,5% dos servidores do Legislativo detectaram presença de coronavírus no organismo

O vereador de Santos Benedito Furtado (PSB) divulgou, nesta quinta-feira (6), novos laudos de teste sorológico, que acusou 'não reagente' ao novo coronavírus. Ele foi um dos três parlamentares santistas que tiveram o teste rápido, aplicado nesta terça-feira (4) pela Prefeitura, positivo para a Covid-19 - Sérgio Santana (PL) e Sadao Nakai (PSDB) completaram a lista. Na ocasião, 42,5% dos servidores do Legislativo de Santos tiveram resultados que indicariam a presença do vírus no organismo. 

VEJA MAIS:

>> Câmara de Santos tem 140 positivos para coronavírus e suspende atividades 
>> Vereadora acusa Prefeitura de Santos de manipular resultados de testes 
>> Secretário admite a ocorrência de falsos positivos em testes rápidos para Covid-19 em Santos 

O alto índice de testes positivos fez o presidente da Casa, Rui de Rosis (PSL), suspender as atividades presenciais no Legislativo santista. Contudo, o percentual de pessoas supostamente em contato com o vírus despertou dúvidas entre os vereadores, que questionam a qualidade dos exames. O secretário municipal de Saúde, Fábio Ferraz, admitiu a ocorrência de falsos positivos nos testes rápidos para detecção de Covid-19 em Santos.  

Em uma nota de agradecimento, divulgada nas redes sociais, Furtado informou ter recebido o laudo do teste sorológico na noite desta quarta-feira (5), dia seguinte ao mutirão feito pela administração santista. “Ao examinar o resultado, o médico (infectologista) e amigo Evaldo Estanislau me informou que não estou infectado pelo Covid-19 e que o teste rápido realizado na Câmara com certeza havia acusado ‘falso positivo’”, informou o socialista. 

Vereador usou as redes sociais para informar teste negativo de Covid-19 (Reprodução/Redes Sociais)

Furtado destacou ainda que “agora, é esclarecer quais as razões objetivas que estão levando os gestores públicos a submeter a sociedade em geral a testes rápidos com tamanha imprecisão”.  Em live promovida na noite de terça-feira (4), Ferraz sugeriu o uso de teste PCR, pelo qual material é coletado do nariz do paciente e enviado para laboratório. Ele assegurou que essa técnica é a mais confiável para indicar o contágio da doença. 

Furtado afirma que na testagem realizada na Câmara, “os erros foram grosseiros, dezenas de testes que lá acusaram positivos, como o meu, em nova testagem mais segura tiveram resultados negativos”.

Tudo sobre: