EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

11 de Dezembro de 2019

Talento de dançarinos santistas fatura 18 prêmios

Sobre rodas, equipe da Escola Municipal de Dança dá show em torneio em Minas Gerais

À base de muito treinamento e dedicação, a equipe da Escola Municipal de Dança em Cadeira de Rodas e Esportiva Secult Santos, em parceria com o Studio Las Cia de Dança, conseguiu se superar. Nove integrantes conquistaram 18 medalhas no XVIII Campeonato Brasileiro de Dança Esportiva em Cadeira de Rodas, realizado pela Confederação Brasileira de Dança em Cadeira de Rodas (CBDCR), em outubro, em Juiz de Fora (MG).

Dos competidores, havia sete cadeirantes e dois andantes: o diretor-geral do grupo Alexandre Las e a coreógrafa Luciana Las. Os dançarinos se inscreveram em todas as categorias, e não teve uma em que não “medalharam”. Foram nove de ouro, cinco de prata e quatro de bronze. As apresentações ocorreram na cidade mineira, de 17 a 20 de outubro.

“Foi muito gratificante! Nós sabemos do trabalho desenvolvido nesse tempo, mas nunca desmerecemos os adversários, sabíamos que eram fortes. Os resultados surpreenderam e vieram para coroar esses quase 15 anos de existência. E é importante manter o nível técnico, assim estaremos preparados caso vire uma modalidade paralímpica”, comenta Alexandre.

Dançarinos se exibem com a conquista. (Foto: Arquivo pessoal) 

Os dançarinos da Escola competiram contra equipes de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pará, Sergipe e Paraíba, sendo a única a representar o Estado de São Paulo. O destaque na competição foi resultado da dedicação nos ensaios. Próximo da data de apresentação, eles chegaram a treinar todos os dias da semana. “Cerca de 85% deles competem na categoria avançado. É importante manter o nível”, reforça ele.

Para custear a viagem, eles e seus acompanhantes tiveram apoio da Secretaria de Cultura (Secult) de Santos, da parceira Jumper Equipamentos, e da verba que arrecadaram nos seus espetáculos.

“Isso mostra que o investimento desses anos tem dado grandes resultados”. O secretário de Cultura de Santos, Rafael Leal opina que “o apoio ajuda, mas a competência é deles”.

Experiências

A Escola Municipal de Dança compete desde a primeira edição do Campeonato Brasileiro de Dança Esportiva em Cadeira de Rodas, pois foi criada no mesmo ano, em 2005. De lá pra cá, os dançarinos competiram e se apresentaram em vários locais. Em 2015, participaram da Copa dos Continentes, em São Petersburgo, na Rússia.

Potencial como filosofia

A Escola Municipal de Dança em Cadeira de Rodas e Esportiva Secult Santos completa 15 anos em 2020. Atualmente, tem cerca de 40 alunos: 15 são cadeirantes e 25 andantes. O curso é de formação em Dança em Cadeira de Rodas, que abrange a parte artística e esportiva. Duas turmas já foram formadas pelo projeto.

“Uma das regras do projeto é respeitar o tempo e limite de cada um, leva pelo menos de três a quatro anos. Eu e a Luciana prezamos a superação do ser humano, independentemente da sua condição física. É o nosso grande segredo, enxergar o potencial da pessoa e fazer o máximo para explorar”.

As aulas são realizadas às segundas, quartas e sextas-feira, além dos sábados, a partir das 18 horas, no Cais Milton Teixeira, na Secretaria de Cultura (Avenida Rangel Pestana, 150, Vila Mathias). A Prefeitura disponibiliza vagas no início de cada ano. 

Tudo sobre: