EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

12 de Julho de 2020

Sol faz santistas ignorarem decreto e se aglomerarem na orla da praia neste domingo

Circulação de pessoas no calçadão está proibida desde 4 de abril. Furo ao bloqueio ocorre no momento em que Santos registra 149 mortes pela Covid-19

O tempo firme que marca o último final de semana de maio fez com que os santistas "furassem" as regras de isolamento social na manhã desse domingo (31). E uma cena que já é comum na vizinha São Vicente também passou a marcar a orla de Santos: várias pessoas voltaram a desobedecer ao decreto municipal que veda a circulação no calçadão à beira-mar cidade. Aglomerações foram registradas em diversos trechos.

A repórter fotográfica de A Tribuna, Vanessa Rodrigues, fez registros desde o início da manhã de domingo com a movimentação em toda a extensão da orla santista. A cena impressiona e revolta a parcela da população que segue as recomendações de isolamento social na Baixada Santista, como forma de reduzir a taxa de contaminação pela Covid-19. Sob condição de anonimato, guardas municipais confirmaram para ATribuna.com.br uma elevação expressiva no número de caminhantes pela manhã. 

Santistas ignoraram o decreto municipal de isolamento social e foram caminhar na orla da praia (Foto: Vanessa Rodrigues/AT)

Desde o dia 4 de abril, conforme decreto municipal, segue proibida a circulação de pessoas pelo calçadão da orla de Santos. A medida foi decretada como forma de reduzir a taxa de evolução dos contágios pelo novo coronavírus na Cidade. Já a ciclovia fica limitada àqueles que utilizam bicicleta para trabalhar, ficando vetada para atividades esportivas, turísticas e de lazer. Essa restrição também foi ignorada na manhã deste domingo (31).

Nem mesmo as barreiras instaladas no calçadão ou as orientações de agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) surtiram efeitos. Com isso, muitos praticantes de esportes fizeram uso da avenida da praia para a realização das atividades. Praças, como a Vereador Luiz La Scala (Aquário), na Ponta da Praia, ficaram tomadas por pessoas. A Prefeitura afirma ter reforçado o efetivo da GCM na orla, "em função do grande fluxo de pessoas na região da praia".

Ciclistas na ciclovia de Santos durante domingo de sol na cidade (Foto: Vanessa Rodrigues/AT)

A desobediência à regra municipal ocorre num instante em que a Cidade ultrapassou a marca de 3.518 casos confirmados de Covid-19, conforme boletim divulgado na noite deste sábado (30), pela Seção de Vigilância de Santos. Na ocasião, foi registrada uma alta de 2,2% no intervalo de 24 horas.

A cidade totaliza 149 óbitos causados pela doença, sendo seis deles confirmados neste sábado. Entre as vítimas fatais, listam: um bebê de seis meses (com histórico de malformação congênita), duas mulheres (de 56 e 83 anos), e três homens (de 69, 83, 84 e 85 anos), falecidos entre os dias 23 e 30 de maio. Outros 24 óbitos suspeitos estão investigação.

Em nota,a Prefeitura de Santos informa que continuam em vigor todas as medidas restritivas para o isolamento e distanciamento social decretadas devido à pandemia causada pelo novo coronavírus, entre elas a proibição da presença de munícipes na faixa de areia e também em toda a extensão do calçadão da orla da praia. 

Sustenta que GCM segue fiscalizando o cumprimento das medidas e aplicando as sanções previstas nos decretos municipais em vigor. Desde o início da obrigatoriedade do uso da máscara facial na Cidade, a GCM aplicou 10 (dez) multas pela resistência ao uso da proteção, mesmo após orientação e oferta da mesma doada pelo efetivo.

"A Administração Municipal ratifica: a quarentena não acabou. Todas os munícipes devem continuam em casa. Só devem sair aqueles que atuam em serviços essenciais. Quem eventualmente precisar se expor – por exemplo, para comprar comida ou remédio – deve usar máscara facial e tomar todos os cuidados para evitar o contágio do novo coronavírus", finaliza o comunicado.

Movimentação no calçadão da praia de Santos é grande neste domingo (Foto: Vanessa Rodrigues/AT)
Tudo sobre: