Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Santos já tem insumos suficientes para vacinar população contra Covid-19 na 1ª fase

O investimento para a compra de seringas, agulhas e coletores de perfurocortantes foi de R$ 730 mil

Por: Por ATribuna.com.br  -  16/01/21  -  09:40
O investimento estimado para a compra dos insumos é de R$ 610 mil reais
O investimento estimado para a compra dos insumos é de R$ 610 mil reais   Foto: Vanessa Rodrigues/AT

A cidade de Santos já comprou insumos suficientes para vacinar os munícipes na primeira fase de imunização contra a Covid-19. A afirmação do secretário de saúde de Santos, Adriano Catapreta, ocorreu no novo episódio do Baixada em Pauta, programa de podcast do G1. Só na primeira fase, estima-se que 105 mil pessoas serão vacinadas.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


O investimento estimado para a compra dos insumos é de R$ 730 mil e inclui seringas, agulhas e coletores de perfurocortantes. Segundo o secretário, a separação da população em grupos ajudará em uma imunização organizada e consciente.


Em Santos, o público-alvo nesta 1ª etapa é formado por 104.419 pessoas, sendo 23.885 trabalhadores da saúde e 80.534 idosos. O cronograma de vacinação seguirá o calendário do Plano Estadual de Imunização (PEI), que deve ter início em 20 de janeiro. Os grupos prioritários para vacinação são os profissionais de saúde em atividade e as pessoas com mais de 60 anos.


O secretário também explica que, a princípio, os estudos mostram que o intervalo deve ser de 21 dias, entre a primeira e segunda dose. Para evitar aglomerações, a imunização será feita em 31 policlínicas nas cinco regiões. O atendimento será ampliado, ocorrendo de segunda a sábado, das 8h às 17h.


Negacionistas e a vacina


Durante o podcast, Catapreta também contou que é preciso confiar na vacina e que o objetivo da imunização é apenas proteger a população. "A vacina foi realmente um avanço na saúde da humanidade, então a pessoa tem sim que se vacinar. Uma coisa que também me chama atenção é esse preconceito com a vacina da China. É a primeira vacina, é uma vacina que foi feita da forma mais tradicional possível".


Ele também explica como o imunizante foi feito e qual é a vantagem de ter essa vacina no Brasil. "É uma vacina de vírus inativado. As outras são de RNA combinado, são mais delicadas, é um processo novo. A Coronavac é uma vacina pode ser armazenada de dois a oito graus, então é muito mais fácil. Imagina se fosse uma dessas vacinas que tem que ser armazenada a menos 70 graus, no nosso país isso é algo surreal".


Em Santos, a vacina deve começar no dia 25 de janeiro, mas ainda é preciso aguardar a confirmação do Plano Nacional de Imunização e a aprovação do uso emergencial pela Anvisa.


Na primeira fase, destinada aos grupos prioritários, os trabalhadores da saúde deverão levar no dia da vacinação a carteira do conselho de classe (CRM, Coren, e outros), crachá ou holerite, acompanhado de documento de identidade com foto e comprovante de residência em Santos. Já os idosos deve levar documento de identidade com foto (RG ou CNH) e comprovante de residência em Santos.


Logo A Tribuna