EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

13 de Julho de 2020

Santos deve anunciar flexibilização na semana que vem

Cidade vai aguardar Estado oficializar retirada da restrição vermelha para apresentar cronograma

Santos pretende divulgar, na próxima quarta-feira (3), um cronograma para retomada das atividades econômicas, caso o Governo do Estado retire a Baixada Santista da fase vermelha (restrição mais rigorosa) no Plano São Paulo, que estipula regras para flexibilização da quarentena. 

Nesta sexta-feira (29), o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), que também preside o Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb), esteve em reunião na sede do Governo Estadual, na Capital, e convenceu secretários estaduais de que a região está apta a passar para a segunda fase do plano, a laranja (permite início da reabertura), porque aumentou a quantidade de leitos de UTI. A oficialização, porém, será feita após análise dos números na próxima terça-feira (2).    

Segundo o cronograma estadual, na fase laranja podem funcionar atividades como escritórios, imobiliárias, concessionárias, shoppings e o comércio poderão retomar as atividades, mas com restrições. O prefeito de Santos ressalta, porém, que isso não quer dizer que esses locais abrirão as portas. 

“A principal conquista é da autonomia, de poder tomar a decisão. Feito esse registro, a política de flexibilização de Santos, em alguns pontos, é até mais restritiva que a do Estado. Por exemplo, igrejas estão abrindo Capital, em Santos ficarão fechadas. A Prefeitura não pode ser mais concessiva que o Estado, mas pode ser mais restritiva”. 

Barbosa afirma que não há data definida para reabertura de qualquer estabelecimento e que pretende dialogar com os setores antes de divulgar prazos. Ele ressalta que a Cidade segue em quarentena e que é importante a conscientização para manter o isolamento social. 

“O fato de estar na fase laranja não significa promover a reabertura imediata, descontrolada. Ao contrário, a situação continua preocupante, as regras permanecem rígidas. Não vamos abrir shoppings na semana que vem. Vamos conversar e fazer gradualmente, conservando regras”. 

O prefeito diz que colocar a Baixada na fase laranja é questão de justiça, mas que todas as regiões podem mudar de fase a qualquer momento. “Não vejo dificuldade alguma de entender isso. Mas nossa situação não é pior que a da Capital (que foi para a fase laranja). Erros acontecem e devem ser corrigidos”.

Tudo sobre: