Santos confirma mais dois casos de varíola dos macacos

Todos os infectados até o momento são homens adultos sem sinais de gravidade da doença

Por: ATribuna.com.br  -  24/10/22  -  16:05
 Apenas sete mulheres contraíram a doença na região
Apenas sete mulheres contraíram a doença na região   Foto: Divulgação

Mais dois casos da varíola dos macacos foram confirmados pela Seção de Vigilância Epidemiológica (Seviep), da Secretaria de Saúde de Santos nesta segunda-feira (24),


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


totalizando 23 confirmações na Cidade.


Todos os infectados até o momento são homens adultos sem sinais de gravidade da doença. Destes, 18 já cumpriram o período de isolamento e estão recuperados.


Santos ainda possui 14 casos suspeitos, pessoas que estão em isolamento domiciliar enquanto o Município aguarda o resultado de exames enviados ao Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência do Estado.


Todos os moradores de Santos confirmados ou suspeitos da doença são acompanhados pela Seviep. A pessoa que identificar algum dos sintomas da doença (ver abaixo) deve ir à policlínica de referência do seu bairro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, ou ir a uma das três Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Cidade, que funcionam todos os dias (24 horas).


SINTOMAS


Os primeiros sinais da doença após a infecção costumam ser febre, dor muscular, fadiga, dor de cabeça, fraqueza, dor nas costas e dor nos gânglios (especialmente atrás da orelha e cabeça).


Depois de três dias, surgem erupções na pele, a partir do local da infecção primária, que se espalham rapidamente para outras partes do corpo.


As lesões continuam a progredir, geralmente dentro de 12 dias, para uma aparência mais sólida (pápula).


O infectado deixa de contaminar outras pessoas após o desaparecimento das lesões.


PREVENÇÃO


Evitar contato íntimo ou sexual com pessoas que tenham lesões na pele


Evitar beijar, abraçar ou fazer sexo com alguém com a doença


Higienizar as mãos com água e sabão e usar álcool em gel


Não compartilhar roupas de cama, toalhas, talheres, copos, objetos pessoais ou brinquedos sexuais


Usar máscaras, protegendo-se contra gotículas de saliva, entre casos confirmados e contactantes


Tudo sobre:
Logo A Tribuna
Newsletter