EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

12 de Agosto de 2020

Santos autoriza repassar à Câmara prédio do colégio Acácio de Paula Leite

Confirmação da prefeitura ocorreu no dia da visita do arquiteto que projetou o edifício

A Prefeitura de Santos confirmou que repassará para uso da Câmara o imóvel do antigo colégio Acácio de Paula Leite Sampaio, na Vila Nova. Nesta quinta-feira (22), o arquiteto que idealizou o prédio, Decio Tozzi, visitou o espaço. Ouviu do presidente do Legislativo, Rui de Rosis (MDB), a ideia para o novo uso da edificação, que passará por readequações.

Ainda não se definiram as mudanças necessárias, mas Tozzi afirma que será uma obra rápida, pois o imóvel é tombado e só precisará de reforma e de instalação dos arquivos da Câmara – hoje em diferentes endereços – e do departamento de comunicação, com estúdios de TV e rádio. Haveria, ainda, ouvidoria, miniauditórios e a Escola do Legislativo.

Serão levados em conta itens como acessibilidade, eficiência energética e uso para eventos.

Outro fator que dará agilidade é um projeto já pronto de revitalização. Ele foi feito pelo arquiteto logo depois que a cidade havia transferido o prédio ao governo estadual, para que instalasse o Centro Paula Souza (CPS). Era 12 de abril de 2014 quando se publicou o decreto de autorização de uso, após convênio de cooperação técnico-educacional. Mas a mudança nunca ocorreu, e o Acácio ficou desocupado.

O presidente da Câmara afirma que o mais importante é o prédio voltar a ter uso. “Estamos dando um andamento rápido para isso. Queremos deixar prontos o projeto, a planta, a modernização que precisaremos fazer e tudo aquilo que for necessário para que seja uma Escola do Legislativo”, afirma De Rosis.

Segundo ele, a novidade vai resolver insistentes questionamentos do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que sempre cobra transparência no arquivo da Casa.

“A gente resolve esse problema. Faz, quem sabe, um museu para que nossos jovens conheçam esse patrimônio histórico tão importante, em vez de verem essa vergonha que temos aqui. Nós, santistas, queremos recuperar o Acácio, e a Câmara está preparada, porque é a única que tem dinheiro para isso”, diz.

A vereadora Audrey Kleys (PP), que acompanhou a visita nesta quinta-feira, comenta que, apesar de não haver certeza dos custos, tem como referência o projeto executivo de revitalização do prédio. “Citamos, nas últimas audiências públicas que discutiram o futuro da Etec [escola técnica], esse levantamento do custo de revitalização. Estava em cerca de R$ 8 milhões”, relembra.

O autor

Arquiteto Decio Tozzi: 'O que mantém qualquer edifício é a ocupação' (Foto: Alexsander Ferraz/AT)

Após ver as instalações deterioradas, com lixo e mau cheiro, o arquiteto também se mostrou satisfeito em saber que novamente o local poderá ser usado.

“É só me entregarem que providencio tudo. Já fizemos a obra do altar de um papa em dois meses. Aqui, o importante é enfatizar que precisa ser ocupado. Porque o que mantém qualquer edifício é a ocupação. Esse prédio é um patrimônio da humanidade e da cultura brasileira”, diz Tozzi. “Foi um prédio premiado em vários salões de arte moderna, Bienal Internacional de Arquitetura, Bienal de Paris. Não podemos deixá-lo ao deus-dará”.

Tudo sobre: