EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

9 de Agosto de 2020

Profissionais da Saúde de Santos fazem lanches para pacientes com câncer: 'Amor e carinho'

Os pacientes que fazem tratamento com radioterapia e que viajam longas distâncias são recebidos com o carinho pela equipe do Hospital Guilherme Álvaro

No Hospital Guilherme Álvaro, em Santos, a equipe de radioterapia pensou em uma alternativa para receber com carinho os pacientes que enfrentam horas de estrada para receberem tratamento e combater o câncer. A assistente administrativa Michelle Sousa Corralles Enedino fez um post nas redes sociais na última quinta-feira (30) mostrando que ela e suas colegas montam lanches para receber os pacientes.

Além de Michelle, as responsáveis pela iniciativa são a enfermeira Adriana Francisca de Oliveira, a médica Carmen Freire Tundisi, a supervisora Fabiana Chinaglia e a auxiliar de enfermagem Eva Aparecida.

Todas as profissionais da saúde se dedicam a montar os lanches para os pacientes. “A ideia foi de todas nós. A maioria dos pacientes vêm da área rural do Vale do Ribeira, Registro, Jacupiranga, Cajati, esses lugares distantes, então eles acordam muito cedo para estar aqui às 6h. Às vezes eles não têm condições de trazer um lanchinho ou sair de lá alimentados”, conta Michelle.

Funcionários oferecem lanches aos pacientes com câncer no Guilherme Álvaro (Foto: Arquivo pessoal/Michelle Enedino)

Antes da pandemia, o hospital podia receber voluntárias, que ficavam encarregadas de oferecer os lanches para os pacientes. Como muitas delas são idosas, e estão no grupo de risco para a Covid-19, as visitas delas foram suspensas. Por isso, as profissionais da saúde acabaram se dispondo para botar a mão na massa.

“Nós compramos bolachas doces e salgadas, chá, e preparamos tudo na nossa copa. Eu entro 6h30 da manhã na unidade, trabalho, e vou para a copa preparar os lanchinhos, sempre com luva e tudo higienizado, colocamos as bolachas nos saquinhos, preparamos o chá e levamos para a recepção para eles”, conta a auxiliar.

Além dos pacientes do Vale do Ribeira, à tarde é a vez dos pacientes de radioterapia de Guarujá aproveitarem os lanches. “Muitos deles também não têm condições, e o tratamento às vezes demora um pouco, então eles acabam ficando sem nada para se alimentar”.

A recepção da ala de radioterapia do hospital passou a ficar mais animada com a novidade, relata Michelle. “Eles ficam super felizes, é uma alegria. A gente fez de coração, tentamos nos colocar no lugar do próximo, pensar que se fosse a gente, como gostaríamos de ser tratados?”, diz.

“Aqui na unidade a gente trata os pacientes como se fossem da nossa família, com todo o amor e carinho, a gente brinca, conversa, é muito bom o que a gente transmite para eles e o que eles transmitem para a gente também”, finaliza.

Tudo sobre: