EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

19 de Julho de 2019

Presidente do PSDB em Santos diz que arquivamento de expulsões foi 'equilibrado e sensato'

Em reunião do diretório nacional, partido optou por arquivar todos os pedidos de expulsão, o que beneficiou, entre outros, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa

A direção executiva nacional do PSDB decidiu arquivar, na quarta-feira (20), todos os pedidos de expulsão protocolados contra integrantes da legenda. Entre os beneficiados, está o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa. Para Flávio Jordão, presidente da sigla na cidade e atual secretário municipal de Comunicação Social e Relações Instituicionais, a decisão do diretório foi "equilibrada e sensata".

Segundo Jordão, para essa decisão, foram levados em consideração o histórico dos políticos dentro do PSDB e o valor de cada um deles para o partido.

"Eles certamente avaliaram a história que cada um tem dentro do partido. Foi uma decisão equilibrada e sensata. Valorizaram e respeitaram a história de todos no PSDB, e perceberam a importância de cada uma dessas figuras para a legenda", analisa.

Além de Paulo Alexandre Barbosa, nomes fortes do PSDB, como o ex-governador Alberto Goldman e o ex-secretário de governo Saulo de Castro, foram acusados de infidelidade partidária, de terem apoiado Márcio França (PSB) na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes e boicotado a campanha de João Doria, eleito no segundo turno.

"Esses pedidos de expulsão foram feitos em época de eleições, quando os ânimos estavam acirrados. Depois de um tempo, isso se acalmou dentro do partido. Trata-se de pessoas que têm anos de história no PSDB. Havia a expectativa de que, valendo-se dessa história, eles teriam essa continuidade", disse Jordão.

Entre os demais tucanos beneficiados pela medida, estão Bruno Covas, prefeito de São Paulo, e o deputado e ex-senador Aécio Neves.

'Decisão equilibrada e sensata', disse Flávio Jordão, presidente da sigla em Santos (Foto: Irandy Ribas/AT)