Prefeitura de Santos promove semana de combate ao mosquito Aedes aegypti

Diversas programações estão agendadas. Meta é manter queda nos índices de arboviroses

Por: De A Tribuna On-line  -  26/11/18  -  12:01
Campanha de combate ao mosquito acontece em vários pontos de Santos ao longo desta semana
Campanha de combate ao mosquito acontece em vários pontos de Santos ao longo desta semana   Foto: Agência Brasil

A Prefeitura de Santos, por meio da Secretaria de Saúde, promove a partir desta segunda-feira (26) a Semana de Combate ao Aedes aegypti e às doenças causadas pelo mosquito. Uma programação extensa em vários pontos da Cidade tem como objetivo chamar a atenção para o combate ao inseto e, consequentemente, manter a queda nos índices das arboviroses.


A partir das 14h30 desta segunda, na Policlínica da Vila Mathias, o grupo de Informação, Educação e Comunicação (IEC) da Administração Municipal promove o projeto ‘Sala de Espera’, voltado para agentes comunitários de saúde, agentes de combate a endemias, enfermeiros e outros profissionais da unidade, com foco na prevenção às doenças causadas pelo mosquito.


Na terça-feira (27), usando uma casa temática construída com materiais reciclados, o Projeto Casa do Saber desembarca no Armazém 31 do Porto com a simulação interativa e dinâmica de situações do dia a dia, promovendo a conscientização de mudanças de hábitos que levarão à prevenção de doenças causadas por pragas urbanas.


Repetindo a edição promovida no sábado (24), na Praça das Bandeiras, o pedágio informativo estaciona na quinta-feira (29), às 10h, no cruzamento da Rua Carvalho de Mendonça com a Avenida Pinheiro Machado (Canal 1), com foco na prevenção às quatro doenças causadas pelo Aedes: dengue, zika, chikungunya e febre amarela.


Na sexta-feira (30), dia ‘D’ nacional de Mobilização e Combate ao Mosquito Aedes aegypti, será apresentado o teatro educativo ‘Chapeuzinho Vermelho na Floresta Contaminada’, a partir da 14h30 na escola Portal Brasil. O enredo adaptado destaca o papel de cada personagem na prevenção das arboviroses por meio de um ambiente equilibrado e sem criadouros de mosquito.


As atividades promovidas têm como objetivo a conscientização e, com isso, a redução ainda maior no número de casos de doenças transmitidas pelo Aedes. Em 2017, foram registrados 51 casos de dengue. Em 2018, 33. Em relação à chikungunya, foram 16 casos no ano passado e oito neste. Não houve nenhum registro de zika em 2018, ante um caso em 2017. Não há registros de febre amarela na Cidade


Logo A Tribuna