Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Prefeitura de Santos diz que aulas na rede municipal não serão afetadas por paralisação

Servidores da educação municipal protestam nesta quinta (25), em frente a Praça Mauá

Por: Por ATribuna.com.br  -  24/02/21  -  19:16
Atualizado em 24/02/21 - 19:34
Escolas seguirão abertas na fase vermelha para atender aos alunos mais necessitados
Escolas seguirão abertas na fase vermelha para atender aos alunos mais necessitados   Foto: Divulgação/Prefeitura de Santos

Após uma paralisação dos profissionais da educação ser organizada em Santos, a prefeitura disse que as aulas na rede municipal não serão suspensas nesta quinta-feira (25), data em que o protesto está marcado.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santos (Sindserv) organizou a manifestação para esta quinta (25), às 10h, em frente a Praça Mauá. A paralisação deve durar 24h.


A entidade protesta contra o retorno das aulas presenciais em meio ao pico de mortes e contágios provocados pela pandemia de Covid-19, além dos problemas estruturais levantados nas unidades de ensino, como janelas emperradas, telhado furado, falta de luz, entre outros.


Segundo a Secretaria de Educação (Seduc), as escolas estão organizadas para o atendimento, respeitando a porcentagem de 20% da capacidade e os protocolos sanitários. A pasta ressalta que a prefeitura ofertou testes rápidos da Covid-19 a cerca de cinco mil servidores que atuam nas unidades municipais, antes da volta às aulas, em novembro de 2020 e janeiro deste ano.


Em nota, a prefeitura afirma que o retorno gradual das aulas presenciais "está sendo feito com o máximo de cautela e responsabilidade. Todas as escolas estão cumprindo os protocolos exigidos e receberam itens de proteção individual e materiais de higienização", diz o texto.


Sobre as criticas à segurança e à estrutura das escolas, a prefeitura afirma que "todas as escolas passam por frequentes serviços de reparos e manutenção", e que, de 2013 a 2020, foram investidos mais de R$ 30 milhões em intervenções nas unidades municipais de ensino.


A Seduc destaca que respeita o direito de manifestação dos servidores reperesentados pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santos (Sindserv).


Logo A Tribuna