Porta-helicópteros recebe 5 mil visitantes, em Santos

Embarcação deixará o Cais da Marinha nesta segunda-feira

Por: Da Redação  -  26/11/18  -  01:09
  Foto: Nirley Sena / AT

Mais de 5 mil pessoas visitaram neste domingo (25) o Porta-helicópteros Multipropósito (PHM) Atlântico, segundo balanço oficial da Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP). Atracada no Cais da Marinha, sede da CPSP no Porto de Santos, a mais nova embarcação de guerra do Brasil ficou aberta ao público gratuitamente, entre 14 e 18 horas.


O acesso à população foi restrito ao convés e ao hangar do navio. O primeiro é a área externa no alto da embarcação, onde fica a pista de pousos e decolagens. No local havia um helicóptero. Já o hangar é usado para estacionamento de viaturas. Ali, um carro dos fuzileiros navais estava em exposição.
Muitos turistas vieram de São Paulo só para conhecer o Atlântico e enfrentaram longas filas. Foi o caso da analista de sistemas Eliane Neto, de 47 anos, que veio com o marido.

“Achamos que seria um passeio diferente. Achei bem legal. A parte de cima é enorme. Nós ficamos imaginando ele funcionando. Infelizmente não pudemos entrar em todas as áreas”.

O engenheiro químico Manoel Gaspar, de Praia Grande, ficou impressionado com a embarcação. “É algo que não vemos normalmente, é grandioso, você fica assustado com o tamanho das coisas. Gostei muito do helicóptero, que é um equipamento que você não acredita que a gente tenha”.

O aposentado Gil Souza, de Santos, serviu à Marinha e se diz fanático por tudo das Forças Armadas. “Essa é uma aquisição maravilhosa que a Marinha fez. Estava ansioso para conhecer. O poderia marítimo e bélico dela é fantástico. Isso faz bem para a nós brasileiros, é como ter uma câmera vigiando sua casa, no caso, o nosso mar”, explicou.

A embarcação chegou ao País em 25 de agosto e, desde a última semana, realiza exercícios de treinamento da tripulação. O navio chegou à Cidade no sábado e zarpará na manhã desta segunda-feira.


Detalhes
O Atlântico é a mais nova embarcação da Marinha do Brasil e se tornou a principal da esquadra (nau-capitânia), posto que era ocupado pelo porta-aviões São Paulo, já desativado. Tem 203,4 metros de comprimento e 35 metros de largura. São utilizados dois motores de propulsão.

Além da tripulação de até 300 tripulantes, ele tem capacidade para receber mais 800 militares.

O navio pode ser usado pela Marinha no controle de áreas marítimas, no apoio à Força Naval, em operações de guerra e missões estratégicas logísticas, transportando militares, munições, suprimentos, água potável e equipamentos.

Conta ainda com suporte hospitalar e, por isso, também pode atuar missões humanitárias, auxílio a vítimas de desastres naturais, evacuação de pessoal e em operações de manutenção da paz.
Na atual viagem, o Atlântico conta com 432 homens a bordo. Ele deixou sua base, o Arsenal da Marinha, no Rio de Janeiro, na sexta-feira e levou 24 horas para chegar à região, no sábado.


Logo A Tribuna