EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

10 de Julho de 2020

Por irregularidades, buffet é interditado duas horas antes de festa de aniversário de criança

Mãe de aniversariante foi notificada horas antes de interdição; Vigilância Sanitária de Santos afirmou que alvará estava vencido

Uma situação de correria, descontrole emocional, mas que pode acontecer quando menos se espera. Uma mulher viveu algo parecido quando, menos de duas horas antes da festa de 3 anos de seu filho, o buffet infantil o qual ela contratou para realizar o evento a comunicou que foi fechado pela Prefeitura de Santos por irregularidades no imóvel. O caso aconteceu no dia 27 de dezembro.

Cristiane dos Santos Dias contratou, em janeiro de 2018, os serviços do buffet, localizado no bairro Boqueirão. Menos de duas horas antes da realização da festa de Lucas Gabriel, um dos funcionários do buffet comunicou a analista de sistemas de que a festa não poderia ser realizada. 

"Esse funcionário me mandou um áudio no Whatsapp explicando que a Prefeitura de Santos interditou o buffet por conta do alvará de um brinquedo. Depois, liguei para a proprietária do buffet e ela me confirmou que isso tinha realmente acontecido. Isso aconteceu por volta de 17h40 e a festa estava marcada pra 19h30", conta.

Sabendo da situação, Cristiane ligou para outros buffets, mas, segundo ela, todos tinham festas marcadas para o dia 27. O jeito foi improvisar e aceitar o plano B oferecido pelo buffet. "A proprietária disponibilizou o salão de festas do prédio onde ela mora. Liguei pra mais de dez lugares, todos ocupados, então, o jeito foi aceitar a alternativa".

Apesar de conseguir realizar a festa de aniversário do filho, Cristiane diz que teve de resolver muitos problemas. "Era um salão doméstico, convidados ficaram em pé pois faltaram cadeiras, o banheiro feminino não funcionou durante a festa. Fora o transtorno emocional. Passei a noite mais resolvendo problemas do que curtindo o aniversário do meu filho", explica.

Cristiane disse que pagou cerca de R$ 2 mil pela festa do filho. O valor integral do acordo foi devolvido e aceito pela mãe do menino. "Tive que ligar para todos os convidados, tudo em cima da hora, para que eles não fossem até o local e encontrasse o buffet fechado. Eles (buffet) devolveram o dinheiro, eu aceitei, mas irei tomar demais providências sobre o que aconteceu".

Como plano B, festa aconteceu em um salão de festas também em Santos (Foto: Cássio Lyra/AT)

Irregularidades

A reportagem entrou em contato com a prefeitura de Santos que confirmou que a Seção de Vigilância Sanitária (Sevisa) interditou o local na tarde do dia 27 de dezembro por risco à sáude pública, após notificações e multas por descumprimento às adequações indicadas.

O estabelecimento teve o alvará de funcionamento indeferido, não possuía licença sanitária e apresentava problemas estruturais e de higiene, além dos brinquedos não terem laudo de segurança.

O buffet foi notificado pela Vigilância Sanitária uma semana antes, no dia 20, sobre os problemas no local. O estabelecimento tentou entrar com um prazo de prorrogação, mas não conseguiu o pedido e, por essa, razão foi interditado.

Buffet responde

Em nota, o buffet reconheceu o transtorno causado e confirmou ter cedido o salão de festas no qual a festa foi realizada. O valor integral foi pago junto à contratante.

Ainda assim, o buffet notifica que toda a parte de regularização de documentos e acessibilidade do local será revista e readequada o quanto antes para o melhor atendimento aos clientes.

Tudo sobre: