Parquinhos da praia de Santos têm brinquedos com problemas

Estado geral de conservação dos equipamentos é bom, mas em todos eles, A Tribuna constatou "pequenos perigos"

Por: Da Redação  -  23/11/18  -  23:58
Nas gangorras, dois problemas: ou não estão fixas ou falta a maneta
Nas gangorras, dois problemas: ou não estão fixas ou falta a maneta   Foto: Carlos Nogueira/AT

Pais que levam as crianças nos parquinhos da praia de Santos precisam de atenção. Apesar do bom estado de conservação geral dos equipamentos, em todos os pontos há pelo menos um item que pode colocar as crianças em risco.


Nos parquinhos dos canais 1, 3, 4, 5 e 6 e no playground da Fonte do Sapo, a atenção deve ser na escolha da gangorra para a criança. Em alguns dos equipamentos, A Tribuna verificou que falta a base onde a criança segura para brincar ou a gangorra não está totalmente fixa.


Nos escorregadores dos parquinhos dos canais 5 e 6 e na Fonte do Sapo falta uma parte do corrimão lateral para a criança subir a escada. No Canal 4 um balancê está quebrado.


Balancê do parquinho na praia do Canal 4, em Santos, está quebrado
Balancê do parquinho na praia do Canal 4, em Santos, está quebrado   Foto: Carlos Nogueira/A Tribuna

Bancos e alagamentos


No Parque Municipal Roberto Mário Santini, o piso gasto é o que chama a atenção. Já no Espaço Criança e Longevidade, os brinquedos estão em bom estado, mas, dos sete bancos para os responsáveis descansarem no complexo, cinco estão quebrados, alguns com pregos enferrujados expostos.


No Canal 2, o alagamento é o problema. Há máquinas operando na movimentação da areia ali, mas, por algum motivo, a água fica represada na frente do playground, como reclama Mirella Fuschini, médica de 35 anos que levou a filha para brincar.


"Aqui o problema não é a conservação, mas estão fazendo o desassoreamento dos canais e as crianças vão brincar nessas areias tão sujas que quando o sol esquenta, ninguém aguenta o cheiro. Não sei se é por causa disso, mas quando chove, alaga. Não dá para brincar", contou, apontando que, no parquinho do outro lado do canal, um espelho de água parada dificultava a supervisão dos pais.


Poça de água toma conta de área próxima a brinquedos no Canal 2
Poça de água toma conta de área próxima a brinquedos no Canal 2   Foto: Carlos Nogueira/A Tribuna

Logo A Tribuna