Orquidário de Santos realiza poda e remoção de vegetais danificados

Serviço objetiva a segurança de visitantes e animais

Por: De A Tribuna On-line  -  29/01/19  -  20:14
  Foto: Susan Hortas/Prefeitura de Santos

Foi iniciada, nesta segunda-feira (28), a poda de dez árvores e a retirada de outras seis do Orquidário Municipal de Santos. Com o objetivo de prevenir danos aos visitantes, animais e à flora do parque, a vegetação em situação de risco foi retirada.


O trabalho foi precedido por um laudo técnico realizado pela Secretaria de Meio Ambiente (Semam), e executado pela empresa Arbopro, especializada em arboricultura urbana, e que utiliza técnicas de alpinismo com cordas. Os serviços incluem remoção de galhos secos, de epífitas (plantas que vivem sobre outras plantas, mas não possuem hábitos parasitas) e de parasitas, e redução de galhos que podem vir a se romper.


Na segunda-feira, uma das seis árvores foi retirada, uma pau-pólvora de 15 metros de altura. Operários alcançaram a parte mais alta da copa e retiraram suas partes sem danificar outras árvores e vegetação da área, segundo o paisagista e arborista Anderson Peres Rodrigues, da Arbopro.


As outras árvores a serem retiradas são das espécies tipuana, de cerca de 15 metros de altura, e outra de 2,25 metros; jambolão, de 20 metros; sombreiro, 12 metros; e outra sem identificação, de 10 metros. Todas se encontram com fragilidades, como cupins, fungos, inclinação acentuada e/ou galhos extensos, de acordo com a Semam.


O trabalho deve ser concluído no prazo de 60 dias, caso não chova, e todo o material recolhido será reutilizado no próprio Orquidário. Os restos de vegetação podem virar adubo, fazer parte do paisagismo e atividades do setor de educação ambiental, segundo o biólogo Fábio Ferreira Santos. Também será feita compensação ambiental, com doação de mudas do Orquidário a serem plantadas na cidade.


Para os serviços, alguns trechos do parque serão interditados, e as partes mais complexas do trabalho serão feitas às segundas-feiras, quando o equipamento está fechado para visitação. A partir do segundo semestre deste ano, a Semam iniciará levantamento de outras eventuais necessidades de manutenção da vegetação do parque.


Logo A Tribuna