Morre ex-deputada federal Mariângela Duarte

Professora e responsável por trazer universidade pública para a Baixada Santista, ela tinha 74 anos e enfrentava um câncer

Morreu no início da noite desta quinta-feira (21), aos 74 anos, a ex-deputada federal Mariângela Duarte, por complicações causadas por um câncer no pâncreas. Ela faleceu em casa, em Santos, recebendo conforto dos familiares, já que não havia mais tratamento possível.

O velório será na própria residência, restrito à família e amigos próximos. O corpo da ex-parlamentar será cremado na manhã desta sexta-feira (22), na Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos.  A cremação também será reservada a parentes.

Professora aposentada, Mariângela descobriu o câncer em novembro de 2019, foi submetida a tratamentos, mas a doença avançou. A educadora, reconhecida por lutar pela universidade pública na Baixada Santista, era viúva, deixa quatro filhos e seis netos.   

“Ela sempre dizia que tinha se aposentado como professora, não como política. Tinha isso firme dentro dela, a ideia de ser educadora. Falava que não tinha herança para deixar, mas que deixaria um legado muito maior na educação”, disse para A Tribuna a filha dela, Ana Luísa de Araújo Gama Duarte.  

Por conta do falecimento da professora, ex-vereadora e ex-deputada Mariângela Duarte, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa decretou luto oficial na Cidade por três dias.

“Foi com extrema tristeza que recebi a notícia do falecimento da nossa aguerrida professora e deputada Mariângela Duarte. Uma mulher que tinha ideais, lutou pela nossa região com afinco e sempre teve a bandeira da educação em primeiro lugar. Caminhamos juntos em muitos momentos, quando aprendi a admirar e respeitá-la como um verdadeiro ícone da política santista, motivo de muito orgulho para todos nós. Perdemos uma amiga e uma fonte de inspiração. Com certeza, ela deixa uma rica história e ensinamentos para que as próximas gerações possam se espelhar. Nossos sentimentos aos familiares neste momento de dor”, disse o prefeito. 

Defesa da região 

Mariângela Duarte nasceu no Rio de Janeiro, mas adotou Santos como sua cidade. Foi professora da rede estadual e do ensino superior na UniSantos. Teve uma longa carreira política. Pelo PT, foi eleita vereadora na Cidade por duas vezes, em 1988 e 1992.  

Com o protagonismo assumido na Câmara, conquistou a cadeira de deputada estadual em 1998. Iniciou uma luta diária com o Governo do Estado para a instalação de uma universidade pública na região. Em seus discursos contundentes e emocionados, era defensora da Unesp, Fatecs e Etecs.  

Em 2002 candidatou-se a deputada federal por São Paulo, ficou como suplente, mas assumiu a vaga em 2005 com a cassação do mandato de José Dirceu. Continuou sua luta por pela educação, mas ampliou para outras áreas. Como era uma mulher de diálogo, era respeitada por opositores e até eleitores que não gostavam do PT.  

Mariângela é autora do projeto de lei que autorizou o Governo Federal a instalar uma universidade pública na região, a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em 2004. Em 2014, na comemoração de 10 anos da Unifesp, falou da sua batalha. 

“Foi muito difícil erguer uma universidade pública em uma região cheia de instituições pagas. Hoje, vocês, professores, concretizam tudo o que eu sonhei um dia. Se não fosse a determinação de vocês que, em muitos casos, saíram de suas terras natais para trabalhar em Santos, nada disso teria sido possível. A vocês eu faço meu agradecimento de vida”. 

O diretor acadêmico do Campus Baixada Santista da Unifesp, Odair Aguiar Júnior, expressou sua gratidão à educadora. “A querida professora é, e sempre será, a patronesse do Campus Baixada Santista da Unifesp. Aquela que viabilizou a vinda da universidade federal para a Baixada. Um sonho de uma vida inteira que se concretizou”.  

Ao deixar a Câmara dos Deputados, em 2007, mudou de partido, para o PSB. Foi a candidata da legenda à Prefeitura de Santos, em 2008, mas não se elegeu. Em 2013, assumiu a Secretaria de Cultura de Guarujá.

Autoridades políticas falam sobre Mariangela Duarte

Rosana Valle, deputada federal pelo PSB

"Estamos muito abalados e tristes com a morte de Mariângela Duarte, uma guerreira, símbolo de mulher e política combativa. Lutou como ninguém pela Educação e outras boas causas da nossa Região e do Brasil. Mariângela foi uma das principais incentivadoras da minha entrada na política. Aprendi muito com ela e com sua filha, Ana Luiza, que trabalha comigo. Todos nós perdemos com a partida de Mariângela. Mas seu legado estará sempre conosco, nos inspirando, mulheres e homens, que buscam a justiça social e um mundo melhor. Seus olhos brilhantes e altivos estarão sempre a nos guiar. Muito obrigado Mariângela", escreveu a parlamentar.

Antonio Carlos Banha Joquim, vereador em Santos pelo MDB

"É com profundo pesar que recebo o passamento da nossa ícone Mariângela Duarte. Mulher de pulso forte que muito nos honrou como filha da cidade. Tenho a honra de ter, como parlamentar, participado de muitas ações conjunta com Mariângela. Sem dúvida nenhuma, é momento de  profundo luto para mim e para toda nossa região. Que nosso Senhor a receba com todas as homenagens que ela merece, assim como, conforte sua família por está inestimável perda", disse o emedebista. 

Telma de Souza, vereadora em Santos pelo PT

"A Mariângela Duarte sempre foi uma guerreira. Impulsiva, combativa. Poucos sabiam que ela era excelente cozinheira. Nós que privávamos da intimidade dela com a família sabíamos disso. Mas seu amor pela literatura - ela era professora de literatura na universidade - também era algo incomum. Ela sempre nos citava autores de peso e com substância. Era muito fã de Adélia Prado e sempre nos lembrava de uma frase que ela dizia. A Adélia Prado diz numa de suas poesias que “mulher é desdobrável”. Então eu acho que hoje nós temos que nos juntar à família, eu ela e Maria Lúcia Prandi éramos um trio de mulheres num momento em que era difícil, como ainda é, a presença da mulher em espaços de decisão, especialmente na política. É por isso que estou aqui para mandar um grande abraço à amiga, à família, para reverenciá-la. Poucas são como ela. Um beijo", falou Telma de Souza, que atualmente é vereadora em Santos.

Kenny Mendes, deputado estadual pelo Progressistas

"É com pesar que a Baixada Santista perde uma de suas principais referências na política. Ex-vereadora santista, ex-deputada estadual e ex-deputada federal, foi uma parlamentar aguerrida na defesa da região. Também deixou sua marca no executivo, como secretária de Cultura em Guarujá. Enquanto professor, fica para sempre a admiração à mestra por sua luta em prol da educação. Uma verdadeira lição"

 

Tudo sobre: