EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

18 de Julho de 2019

Moradores do Estuário se mobilizam contra mudança do IML de Santos para o bairro

Novo endereço do Instituto Médico Legal divulgado pela Secretaria de Segurança Pública afeta área residencial, segundo munícipes

Contra a mudança de endereço do Instituto Médico Legal (IML) de Santos, moradores do bairro Estuário, novo destino do equipamento público, se mobilizaram e criaram uma petição online. O IML, que atualmente fica localizado no bairro Saboó, terá sua sede na Rua Bernardo Browne, 124.

De acordo com os moradores, que já protestaram no local, a mudança para uma área onde há residências trará riscos para a população. Um dos residentes no Estuário, o autônomo André Luiz Mendes Teixeira, de 39 anos, conta que o IML não informou diretamente aos moradores que faria a mudança de endereço. “Começaram a aparecer alguns carros da prefeitura, do IML, da Polícia Científica, e nós acabamos perguntando o que estava acontecendo para os pedreiros. Foi quando eles disseram que ali seria o IML”, disse.

Segundo os moradores, não há qualquer tipo de identificação no prédio a respeito da obra que está sendo realizada, o que deixou a população do Estuário revoltada. O imóvel estava abandonado há mais de 20 anos, de acordo com relatos de vizinhos.

Teixeira mobilizou a população para criar uma petição online contra a mudança do IML para o bairro. “Graças a Deus, tive o apoio de muita gente. Está rolando a petição online, mas tem, também, mais ou menos dez petições físicas”.

Segundo ele, a ideia é, inicialmente, regularizar a obra. “Queremos direitos iguais. Quando eu faço uma obra na minha casa, tenho que acionar a prefeitura, tenho que dar ciência, colocar emplacamento e tudo o mais. Eles também têm que colocar placa ali. Queremos direitos iguais entre governo e população”. Além disso, impedir a mudança do IML para o local é a prioridade dos moradores, por meio do recolhimento de assinaturas.

Área residencial

A questão levantada é que, no Estuário, a nova sede do IML seria muito próxima às residências. “Não que lá no Saboó não seja área residencial, mas lá as casas ficam atrás do IML, o que dificulta o contato dos moradores com a instituição. Aqui não, há residências dos lados, atrás e na frente. Além do mais, lá, a rota de fuga para resgate de presos é muito mais difícil, e aqui nós temos um canal e o Porto que margeia. Então, se alguém vier de lancha para fazer um resgate, imagine o problema que vai dar”, desabafa André.

Outra preocupação dos moradores do Estuário, segundo o autor da petição, é a desvalorização imobiliária que a região sofrerá com a instalação do IML. “É uma questão de observar a depreciação do bairro Saboó, por exemplo. Outro risco é o resgate de drogas e armas, fora que, ao fazer um exame de corpo de delito, existe aquele aparato policial, dependendo da periculosidade do marginal. Aqui é tudo via pública e residencial, imagina se uma criança ou um idoso é atropelado. Os riscos são diversos”, preocupa-se o morador.

Motivo da mudança

Questionada sobre o motivo da mudança de endereço, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) apenas informou, por meio de nota, que o imóvel está dentro dos critérios necessários:

A Superintendência da Polícia Técnico-Científica (SPTC) esclarece que o imóvel foi escolhido para abrigar a nova sede do Instituto Médico Legal (IML) de Santos após apresentar os critérios necessários para instalação da unidade. O local se encontra dentro de uma área de zoneamento classificada como mista.

O prédio está em fase de adequação para início do atendimento, custeada pelo proprietário do terreno. Todo processo e todas as questões legais têm sido acompanhadas de perto pela Prefeitura de Santos e pela SPTC e Diretorias dos Institutos.

Já os moradores da região têm uma versão sobre o motivo da mudança. Na petição, afirmam que a área onde atualmente fica o IML, no Saboó, é de interesse do Santos Futebol Clube. Confira:

“Hoje instalado no bairro Saboó, em Santos [o IML], usa-se como argumento para realizar a transferência do local a instalação da escolinha de treinamento do Santos Futebol Clube, onde transitam diversas crianças. O atual presidente do Santos, José Carlos Peres, usando da sua força política, por intermédio do ex-governador de São Paulo Márcio França, pleiteou a transferência do IML de local, logrou êxito em sua reivindicação com o mesmo argumento [circulação de crianças e exposição de corpos próximo ao CT do Santos], e nós, moradores e comerciantes, iremos ser passivo dessa mudança?”.

Até a publicação desta reportagem, a assessoria de imprensa do Santos não se manifestou sobre o assunto.