Moradoras de Santos fazem alerta para possíveis golpes envolvendo carros por aplicativo

Estudantes relatam que o carro não era o mesmo que aparecia pelo aplicativo

Por meio das redes sociais, mulheres têm alertado sobre possíveis golpes envolvendo carros por aplicativo. As jovens contam que os veículos não são os mesmos que aparecem pelo aplicativo. Pelo menos cinco vítimas já compartilharam nas redes sociais histórias temendo que a situação se repita com outras mulheres.

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Rayna Mendes, de 21 anos, conta que há menos de um mês pediu um carro por aplicativo na Praça das Bandeiras, em Santos, para ir ao trabalho. Ao chamar, o motorista enviou uma mensagem para a jovem avisando que o carro não era o mesmo, mas que ele já estava chegando. No início, Rayna não estranhou, mas decidiu perguntar aos amigos se essa situação era normal.

Ao conversar com os amigos, relembrou de um caso parecido que tinha visto em uma rede social e decidiu cancelar. O maior medo da estudante era sofrer uma tentativa de estupro ao entrar no veículo. Depois da situação, Rayna ainda viveu uma situação parecida, porém envolvendo a placa do carro. Ela diz que na ocasião a placa do carro não era a mesma que aparecia pelo aplicativo e, por isso, também decidiu recusar a corrida. 

Érika Almeida, de 22 anos, também passou pela mesma situação neste mês. Ela conta que decidiu chamar um carro por aplicativo na porta de um Shopping no bairro da Aparecida, em Santos. Enquanto esperava pelo veículo, um carro que não batia com a descrição pelo aplicativo apareceu na porta do Shopping. O motorista passou a chamar pelo nome da jovem, que estranhou a situação e ficou alerta ao recordar de ter escutado histórias parecidas.

Ao conferir o celular, ela notou que o aplicativo mostrava que o motorista ainda estava chegando e decidiu ignorar o chamado. Ao encontrar o carro certo percebeu que a situação poderia ser um possível golpe. “Se a pessoa não se atentar a placa e a cor do carro pode correr perigo”, diz.

Além das duas estudantes, uma outra amiga em comum também passou por uma situação parecida e afirmam que os relatos de outras jovens só vem crescendo. Por isso, é preciso que todos fiquem atentos com as histórias para não correr o risco de acontecer algo pior.

As polícias Civil e Militar orientam as pessoas a sempre manterem-se atentas aos dados cadastrados no aplicativo. Antes de embarcar, deve-se conferir se as informações do condutor e do veículo são condizentes com as passadas pelo serviço.

Em caso de divergências, o usuário não deve embarcar. Para essas situações recomenda-se acionar o 190 e o registro do boletim de ocorrência em uma unidade policial ou pela delegacia eletrônica.

Tudo sobre: