EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Ministério Público apura denúncia contra vereador de Santos

Em vídeo divulgado na internet, Sérgio Santana (PL) é acusado de ficar com parte de salários de assessores; parlamentar fala em “armação”

O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou uma investigação preliminar para apurar um suposto esquema criminoso de rachadinha na Câmara de Santos. Segundo a denúncia, o vereador Sérgio Santana (PL) obrigaria assessores a repassar a ele parte de seus salários, pagos com dinheiro público. 

A Promotoria do Patrimônio Público da Cidade abriu um procedimento preparatório de inquérito civil, que tem 90 dias para a conclusão e pode ser prorrogado por igual período. De acordo com o promotor de Justiça Landolfo Andrade de Souza, o MPE recebeu uma representação formal de um munícipe, com base em um vídeo que circula na internet.  

A gravação, também recebida pela Reportagem, contém áudios que - supostamente - seriam de assessores de Santana confirmando a prática. A acusação é semelhante a que responde o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), que teria feito tal prática quando era deputado estadual, no Rio. 

Tudo mentira 

A assessoria do vereador Sérgio Santana afirma que se trata de fakenews, que o vídeo é uma “montagem com gravação de áudio ilícita e descabida”, com o intuito de prejudicar e caluniar o vereador nas eleições 2020. 

Diz, ainda, que o “departamento jurídico está tomando as medidas judiciais criminais e cíveis nos termos da Lei 13.834/2019 que tipifica o crime de denunciação caluniosa com finalidade eleitoral”.  

Apesar da nota enviada pela assessoria, A Tribuna entrou em com o vereador. Santana explica que registrou um boletim de ocorrência com a natureza de difamação (imputação ofensiva de fato que atenta contra a honra e a reputação) e vai entrar na Justiça contra quem fez e divulgou o vídeo. “Depois vou mostrar a armação, tenho todo interesse em resolver isso”, diz o parlamentar. 

Induzido ao erro 

Após a Reportagem conversar com o vereador, o vídeo, que já circulava há pelo menos duas semanas, foi apagado, nesta quarta-feira (8), da página do Facebook onde foi originalmente postado: Santos Minha Cidade Merece Respeito. O dono da página, Fabiano de Oliveira, o Falcão Roots, pré-candidato a vereador na Cidade pelo Podemos, fez outra gravação se retratando.  

“Foi induzido ao erro pela pessoa que gravou, editou e postou as imagens de seus assessores. Estou disposto a dar qualquer esclarecimento sobre os fatos”, diz ele, que também aparecia no primeiro vídeo acusando o vereador. A Tribuna conversou com Falcão por telefone. Ele repetiu o que disse no vídeo, mas não citou quem estaria por trás da gravação.   

Tudo sobre: