EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

22 de Outubro de 2019

Mercado de Peixes muda até maio do ano que vem, diz prefeitura

Administração Municipal também demolirá estrutura atual para erguer espaço de convenções

Até maio, a Prefeitura de Santos espera concluir a transferência dos permissionários do Mercado de Peixes para o futuro complexo de venda de pescados, na Ponta da Praia. Nesse prazo, também deve demolir a estrutura atual, cujo espaço faz parte do projeto do Centro de Atividades Turísticas (CAT) – a futura área para convenções na Cidade.  

A Administração informou as datas nesta segunda-feira (7), após se confirmar que o mercado existente não será tombado historicamente. O Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Santos (Condepasa) negou o pedido de proteção do imóvel, aberto em 1982. Enquanto isso, o Mercado de Peixes funciona normalmente.  

As obras continuaram durante a análise do Condepasa. Segundo a Prefeitura, a instalação de estacas para as fundações do novo mercado já terminou. A próxima medida será a construção da estrutura: os primeiros pilares serão levantados na próxima semana.  

No próximo semestre 

Pelo cronograma do Município, as futuras instalações do tradicional ponto de venda de pescados têm término previsto no próximo semestre. 

Apenas com a entrega do espaço e a acomodação dos permissionários regularizados é que terá início a remoção das atuais estruturas, erguidas na praça Almirante Gago Coutinho.  

“A demolição do atual mercado está condicionada à transferência dos permissionários para o novo edifício. O prazo previsto é entre março e maio de 2020”, informa a Prefeitura, por nota.  

Contudo, a Administração santista avalia “manter alguns módulos da atual edificação” para compor o projeto urbanístico no local. Assim, parte das estruturas existentes poderiam ser utilizadas como estação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Esse era um dos pedidos dos autores do tombamento do espaço comercial da Ponta da Praia.  

O novo comércio de pescados ocupará uma área de 1,7 mil metros quadrados na Avenida Mario Covas, a poucos metros da atual localização. Ficará defronte à nova saída das balsas (sentido Guarujá).  

O espaço terá 20 boxes para venda de pescado (cinco a mais que o atual) e dois para temperos e artigos de pesca. 

O ambiente será climatizado, com restaurante no mezanino, câmara fria e um bolsão de estacionamento com 40 vagas. 

Sem proteção  

A Administração informou as datas nesta segunda-feira (7), após se confirmar que o mercado existente não será tombado historicamente. O Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Santos (Condepasa) negou o pedido de proteção do imóvel, aberto em 1982. Enquanto isso, o Mercado de Peixes, na Praça Almirante Gago Coutinho, funciona normalmente. 

Tudo sobre: