Maquiagens inéditas 'de filmes de terror' criadas por aluno de Santos ajudam aulas de Odontologia

Caracterizações 'arrepiantes' facilitam aprendizado; material usado em curso de universidade santista já foi premiado

Por: Bruno Almeida  -  17/10/21  -  07:17
 Nas aulas do curso de Odontologia, André Luiz da Silva usa pincéis, tinta e outros materiais artísticos
Nas aulas do curso de Odontologia, André Luiz da Silva usa pincéis, tinta e outros materiais artísticos   Foto: Arquivo pessoal

Um aluno do curso de Odontologia de uma universidade de Santos desenvolveu técnicas pioneiras para ajudar professores no ensino de disciplinas que tratam de lesões da boca. Aos 39 anos, o universitário André Luiz da Silva utiliza as habilidades dos tempos em que trabalhava com maquiagem de cinema para criar caracterizações artísticas. As técnicas permitem que os colegas de curso tenham uma melhor visualização de assuntos tratados em sala de aula. Sucesso entre os estudantes, os trabalhos feitos por Silva já renderam prêmios e participações em congressos científicos.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Fã do Carnaval e do Halloween, ele conta que o interesse pelas maquiagens vem desde cedo. Ao ir a parques de diversões que promoviam 'noites do terror', se impressionou com maquiagens artísticas, em especial as de monstros. "Isso me divertia muito. Certa vez, minha filha pediu para que eu fizesse uma maquiagem para ir a uma festinha de Halloween e, a partir daí, nunca mais parei. Fui me especializando e estudando. Fiz curso de efeitos especiais, de traços e de maquiagem infantil".


Em entrevista para A Tribuna, o universitário relembra que a profissão anterior, como profissional de Educação Física, o ajudou a desenvolver as habilidades. Os alunos da escola onde lecionava também serviram como modelos. Em caracterizações artísticas parecidas com as utilizadas em filmes de terror, eles ganharam o Festival de Talentos da Prefeitura de Guarujá, cidade onde Silva mora hoje. A partir daí, passou a ser chamado para eventos em cinemas de Guarujá e de Santos.


Mas, apesar destes primeiros trabalhos, ele já tinha "um sonho postergado por questões financeiras: cursar Odontologia. Hoje, já consigo estudar". Atualmente, Silva é aluno do 5º semestre de Odontologia na Universidade Metropolitana de Santos (Unimes).


 Doenças estudadas pela Odontologia são simuladas através de maquiagem
Doenças estudadas pela Odontologia são simuladas através de maquiagem   Foto: Arquivo pessoal

Durante uma conversa informal com um professor, o aluno teve a ideia de usar a arte das caracterizações nas aulas do curso. Incentivado pelo docente - que hoje é o orientador dos trabalhos do universitário, os trabalhos já foram a congressos internacionais e receberam prêmios.


Doutor em Diagnóstico Bucal, professor de estomatologia da Faculdade de Odontologia da Unimes e orientador de Silva, José Narciso Rosa Assunção Junior conta que a caracterização serve tanto para "o ensino da estomatologia quanto para a simulação de lesões".


Segundo Assunção, a estomatologia é a área da Odontologia responsável por diagnosticar e tratar lesões da boca, como feridas e neoplasias.


"Só que não é o dia a dia do aluno, da clínica odontológica. O ensino (com as maquiagens) se faz necessário porque mostra visualmente como as doenças se apresentam na boca. As caracterizações do André vieram para nos ajudar a fazer com que os alunos vejam mais. Às vezes uma doença ou outra pode não aparecer no laboratório em todo período de curso. Assim, a gente consegue simular todas as doenças e aumentar o aprendizado".


 Enfermidades 'incomuns' de serem vistas em curso são recriadas com maquiagem
Enfermidades 'incomuns' de serem vistas em curso são recriadas com maquiagem   Foto: Arquivo pessoal

Processo criativo
Silva diz realizar uma pesquisa sobre as características clinicas da lesão ou da patologia que vai representar: "Local, coloração, tamanho, forma etc. Seleciono os materiais adequados para a realização da arte". Combinado a isso, filmes que o influenciaram ajudam no processo de criação. A Hora do Pesadelo, A Volta dos Mortos Vivos e O Exorcista compõem o top 3 do artista.


"A grande sacada das técnicas que uso atualmente é que os materiais são bem acessíveis financeiramente. No caso dascaracterizações da Odontologia, quando uso a arte dentro da cavidade oral, é tudo feito com material comestível. Nada é tóxico ao nosso modelo".


 Grupo de 'maquiados' liderado por André conquistou prêmio em torneio
Grupo de 'maquiados' liderado por André conquistou prêmio em torneio   Foto: Arquivo pessoal

Sucesso
Para Silva, o feedback dos colegas de curso tem sido muito positivo. "Sempre que eles entram em contato com as simulações das lesões estomatológicas ou mesmo algo relativo às aulas de semiologia, como biópsias ou lesões fundamentais, os alunos e professores se mostram empolgados. Ficam impressionados!".


Os trabalhos já foram parar em congressos científicos, inclusive internacionais. "No Congresso da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica (SBPqO), o trabalho foi elogiado pelos avaliadores devido ao ineditismo na estomatologia, pois nessa área este é o primeiro trabalho científico desenvolvido com caracterizações artísticas".


 Habilidades desenvolvidas com maquiagens de terror ajudam André na reconstrução de doenças
Habilidades desenvolvidas com maquiagens de terror ajudam André na reconstrução de doenças   Foto: Arquivo pessoal

O sucesso se repetiu na Jornada Odontologica de Santos (JOS) e no Encontro de Pesquisa e Iniciação Científica da Unimes. "Fiquei em 1° lugar na categoria em que participei. Um resultado desse e tanto apoio e feedback positivos só me dão vontade de desenvolver ainda mais este trabalho e a arte na estomatologia".


O futuro na Odontologia ainda é incerto. "Ainda falta algum tempo para pensar na especialização, porém já me chamam atenção as áreasde bucomaxilofacial, implantodontia ou dentistica". Silva, no entanto, não pretende abandonar a arte. "São amores distintos, porém descobri que posso uni-los e ainda ajudar outros colegas da Odontologia através das caracterizações artísticas".


 André transforma rostos de modelos para ilustrar doenças pouco vistas em aulas
André transforma rostos de modelos para ilustrar doenças pouco vistas em aulas   Foto: Arquivo pessoal

Tudo sobre:
Logo A Tribuna