EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

11 de Julho de 2020

Mais de 1.200 mil testes de covid-19 são aplicados em Santos

Cidade estreia Centro de Testagem do Coronavírus com exames no sistema drive thru e 25 pessoas apresentam resultado positivo

No primeiro dia de funcionamento, o Centro de Testagem do Coronavírus montado pela Prefeitura de Santos no estacionamento do Mendes Convention Center, no Campo Grande, realizou 1.284 testes rápidos no sistema drive thru. Desse total, 25 tiveram resultado positivo para covid-19 – representando 1,94%.

Até sexta-feira (15), o município fará 10 mil testagens. Ontem, os exames começaram às 8h e a fila, por volta das 9h, já ultrapassava a marca de 700 metros, chegando à altura da Rua Cunha Moreira, no Encruzilhada.

A esteticista Jéssica Gonzaga, 34 anos, saiu cedo de casa para participar da mobilização. Ela está desde quinta-feira passada com dores no corpo, tosse seca e calafrios. “Estou preocupada. Melhor saber logo se estou com coronavírus”.

Já Karla Ribeiro, 40 anos, levou a mãe, de 72. “Ela estava com febre e falta de ar quando a levamos no hospital, mas ela não fez o exame. Agora, vamos ver. É importante saber para cuidar adequadamente”.

Detalhes

No estacionamento, foram montados três espaços separados. No primeiro, há identificação e verificação de temperatura. No segundo, é feito o teste rápido para pessoas com sintomas da doença. O resultado é informado, via WhatsApp, no próprio local. Em cerca de meia hora – 15 minutos para o teste e o restante para digitação dos dados - o munícipe sabe se já teve ou não contato com o vírus.

“O teste rápido mostra se há anticorpo ou quem está com a doença. Basta um furinho no dedo. Se der negativo, o paciente vai para casa com as orientações para usar máscara, manter distanciamento e ficar na residência”, diz a chefe do Departamento de Vigilância em Saúde de Santos, Ana Paula Valeiras.

José Gabriel Cruz, 26 anos, trabalha como motorista de aplicativo, e está parado por conta de sintomas semelhantes aos da covid-19 desde a semana passada. Por isso, encarou uma hora de fila para o teste. “Ontem (terça-feira), foi aniversário da minha mulher e nem pude dar um beijo. Estamos mantendo distanciamento”.

Contudo, o astral dele mudou assim que recebeu o resultado. “Deu negativo. Vou chegar em casa e poder beijá-la tranquilo. Também poderei voltar a trabalhar. Estou feliz”.

PCR

Já quem tinha resultado positivo era encaminhado à última tenda para fazer o PCR, exame no qual são coletadas amostras de secreções do nariz e da garganta. Ele é mais complexo e serve como contraprova. “Ele é 100% seguro”, acrescenta Ana Paula.

Foi o que aconteceu com Wanderley do Nascimento, 46 anos, que trabalha com segurança patrimonial. Ele conta que não teve sintomas, mas testou positivo. “Agora fiz o PCR. Acho mais seguro. Eu já ouvi dizer que o teste rápido dá muito erro. Mas, se for isso, farei o isolamento, porque tenho duas filhas. Essa doença não vai me derrubar”. 

Segundo Ana Paula, a testagem é fundamental para avaliar a situação no Município. “A partir do momento que a gente vê quantas pessoas são ainda suscetíveis a ter covid-19, começamos a traçar outras estratégias. Quanto mais negativo der, mais isolamento a gente tem que fazer”.

 

Tudo sobre: