Mãe acusa Prefeitura de Santos de pedir para ela 'reciclar' material vital para criança com doença

Janeide é mãe de Gabriel, que precisa de uma sonda gástrica. Ela diz que foi orientada a reutilizar o material

Mãe de um garoto de 13 anos portador de necessidades especiais, Janeide Santos da Conceição, de 43 anos, cobra a Prefeitura de Santos por insumos que deveriam ser fornecidos por meio da Seção de Atendimento Domiciliar (Seadomi). Segundo a dona de casa, ela foi orientada a reutilizar o material, que é descartável, de uso único e altamente infectante.

O filho de Janeide, Gabriel Santos Pierri, foi diagnosticado com síndrome de Down e autismo na infância. Quando tinha seis anos, ele sofreu uma queda, bateu a cabeça e as complicações de um traumatismo craniano levaram à cegueira, além do surgimento de um pseudotumor cerebral, entre outros problemas.

“O Gabriel é uma criança com múltiplas deficiências, e devido à gravidade do caso dele, ele foi submetido a uma gastrostomia. Com a pandemia, veio a dificuldade da prefeitura providenciar os equipamentos, o material que é essencial para a dieta dele. Desde então, eu tenho que me virar para comprar, mas não tenho recursos para fazer essa compra, já que o benefício dele está suspenso desde junho do ano passado”, relata.

Gabriel se alimenta por uma sonda gástrica, equipamento que deveria ser fornecido a ele pela Seadomi. Apesar de receber alguns insumos, a prefeitura não tem fornecido o 'equipo de dieta'. “Eles pedem para que eu recicle o material, que é extremamente contaminante e de descarte imediato. Eu não posso fazer isso”.

Preocupada, Janeide diz que um processo já corre na Defensoria Pública, mas ela ainda continua sem respostas. “Não sei mais a quem recorrer. O processo já corre na defensoria dos deficientes e não tenho uma resposta. Todo mês tenho que ver o que fazer para não deixar faltar esse equipamento, que é essencial para a vida dele”.

Procurada pela redação de ATribuna.com.br, a Prefeitura de Santos respondeu que realizou uma compra de emergência, e o 'equipo' será entregue a Gabriel ainda nesta terça-feira (25). Leia a nota na íntegra:

'A Secretaria de Saúde de Santos informa que o paciente é acompanhado pela Seção de Atendimento Domiciliar (Seadomi), com assistência da equipe multiprofissional em sua residência. Também recebe mensalmente frascos para dieta enteral, além de fraldas, seringas, ataduras, gazes, fita adesiva e soro fisiológico. A pasta está realizando a licitação da compra do equipo de dieta, item que liga o frasco da dieta ao paciente, para normalizar o seu abastecimento. Enquanto o processo licitatório não é concluído, foi feita uma compra emergencial e o paciente receberá o item nesta terça (25).'

Laudo médico

O laudo médico emitido pelo Ambulatório de Neurologia Infantil da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), onde ele faz acompanhamento, aponta que Gabriel tem "comprometimento da linguagem social, estereotipias e irritabilidade intensa, pseudotumor cerebral com uso de derivação ventrículo peritoneal, epilepsia sintomática e parkinsonismo de etiologia idiopática provável".

Atualmente, ele é totalmente dependente para todas as atividades básicas diárias, e com a progressão da doença e disfagia evolutiva, com perda de peso, necessita de cuidados de enfermagem, fisioterapia motora e fonoaudiologia.

Como ajudar

Janeide conta que está desempregada, e não tem condições de arcar com alguns custos básicos para os cuidados com o filho. Ela diz que precisa de doações para manter a rotina de Gabriel. Agora, o garoto precisa de itens de higiene pessoal e de limpeza. A mãe pede que, quem puder, entre em contato diretamente com ela pelo telefone (13) 98837-7545.

Tudo sobre: