EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

14 de Julho de 2020

Live aborda violência sexual infantil em época de isolamento social

Encontro virtual marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Nove em cada dez crianças vítimas de violência sexual são abusadas por membros da família e no ambiente doméstico. Em 70% dos casos, a exploração ocorre com garotos e garotas da faixa etária entre 1 e 5 anos. Os dados da organização Fundo para Crianças (ChildFund Brasil) jogam luz à importância do 18 de maio: o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. 

Para debater esse flagelo familiar e social, que pode ser potencializado durante a quarentena, a educadora Christiane Andréa e a contadora de história Camila Genaro abordam, nesta segunda-feira (18), formas de prevenção de violência sexual infantil. Voltado às crianças e também aos pais, o bate-papo virtual (live) informará meios de como relatar a agressão sofrida. 

“Nesse momento de isolamento social, pode ter um aumento nos casos de violência sexual contra a criança e adolescente. São pais violentos, usuários de drogas ou famílias desestruturadas, na qual a criança está presa em casa”, diz Christiane, que é educadora sexual da rede municipal de ensino de Santos. 

A proposta da live partiu de Camila Genaro, que teve a ideia de ler o livro “Vamos Conversar? Sobre Violência Sexual Infantil”, de Christiane. “Fiz o convite para um bate-papo de maneira bem clara, direta, para que a gente tenha ouvidos e olhos atentos à questão que é urgente”, diz a contadora de história. 

Elas explicam que a ideia é informar as crianças e responsáveis como identificar sinais de abuso. “É um assunto complexo, que muitos pais não têm preparo para tratar com os filhos, por se sentirem inseguros para abordar o tema”, continua Christiane. 

A educadora acrescentra que a ideia é ensinar as crianças como buscar proteção e os canais para fazer a denúncia. “Vamos ensinar os recursos para a ajuda, já que na maioria dos casos o abuso é intrafamiliar. E a criança se vê sozinha, até mesmo com a desconfiança dos pais, que não acreditam no relato (de abuso)”.   

Instituído pela Lei Federal 9.970/00, o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes é uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no território brasileiro e que já alcançou muitos municípios. Casos de Abusos podem ser relatados por meio do Disque Denúncia Nacional de Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, pelo telefone 100. 

Live 

O bate-papo com as especialistas ocorre nesta segunda-feira (18), a partir das 17 horas, pelo Instagram.

Tudo sobre: