Iluminação da orla de Santos terá sensores para gerenciamento remoto

Avaliada em R$ 12,9 milhões, reforma prevê a adoção de lâmpadas em LED e conceitos de smart cities

Alvo de críticas dos santistas, a iluminação da orla estará alinhada ao século 21. Um sistema de gerenciamento remoto nas futuras luminárias vai inaugurar na cidade o conceito de smart cities – utilização de diversos sensores eletrônicos para o gerenciamento de recursos de forma eficiente. A modernização faz parte do projeto de renovação do parque de lâmpadas dos jardins da praia, que deve ser finalizada até o próximo verão.

A concorrência pública para escolher a empresa responsável pelo projeto consta na edição desta terça-feira (4) do Diário Oficial (DO) de Santos. A proposta, avaliada em R$ 12,9 milhões, prevê a substituição das atuais lâmpadas por modelo em LED e a ampliação da capacidade de iluminação na orla, calçadão da praia e entorno dos canais e dos quiosques.

A mudança inclui a implantação de telegestão na iluminação pública. A novidade consiste em um conjunto de hardware e software para o gerenciamento remoto e em tempo real do sistema de iluminação. Com isso, operações como acionamento, desligamento e identificação de peças defeituosas serão possíveis a partir de uma central de controle.

O gerenciamento remoto é apontado para reduzir o tempo-resposta de substituição de equipamentos e economia de recursos. Outra vantagem é que o operador da rede pode saber a exata localização de cada ponto de luz e receber informações de desempenho e de falhas. Essa agilidade facilita a manutenção da rede, pois os problemas não dependem apenas de rondas de equipes especializadas ou queixas via ouvidoria. 

A telegestão também possibilita maior controle sobre os gastos com energia. Isso porque cada lâmpada poder ter a intensidade alterada (reduzida ou aumentada) em casos excepcionais. Capitais com São Paulo e Belo Horizonte já lançaram editais para o controle em tempo real da infraestrutura de suas redes. 

A modernização das redes entrou de vez na agenda das prefeituras em 2014, quando concessionárias repassaram aos municípios os ativos desse serviço, seguindo determinação da Resolução Normativa 414/2010, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Contudo, o uso da telegestão tem ganhado destaque nos últimos anos, dado os avanços e desenvolvimento de tecnologias nessa área. 

Segundo a prefeitura, a última reforma na iluminação da orla ocorreu há mais de 10 anos. Em nota, a administração santista afirma que serão acrescidos novos projetores nas laterais das torres. Esses equipamentos devem melhorar nestes locais “a prática esportiva no período noturno”.

Conforme o projeto, todo o parque de lâmpadas será substituído por nova iluminação com a tecnologia LED, mais eficiente e com maior vida útil. A administração garante que o novo sistema “contribuirá para a segurança e beleza das praias santistas”. A expectativa é que os trabalhos sejam iniciados em maio, com término previsto para o próximo verão.

Tudo sobre: