Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Ginásio Rebouças tem longa fila de idosos em busca da vacina contra a covid-19

O local era um dos poucos a ainda ter dose de Coronavac para atender pessoas entre 77 e 79 anos na Cidade

Por: Rossana Rife  -  03/03/21  -  16:40
 local era um dos poucos a ainda ter dose de Coronavac para atender os idosos
local era um dos poucos a ainda ter dose de Coronavac para atender os idosos   Foto: Carlos Nogueira/AT

Quem procurou o Ginásio Rebouças, na Ponta da Praia, em Santos na manhã desta quarta-feira (3), em busca da vacina contra a covid-19 enfrentou fila debaixo de sol e muita espera. 


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


O local era um dos poucos a ainda ter dose de Coronavac para atender pessoas entre 77 e 79 anos na Cidade. Por isso, não para de chegar gente no local. Por volta das 11 horas, pelo menos 100 pessoas aguardavam ser imunizadas. 


Local era um dos poucos a ainda ter doses da vacina
Local era um dos poucos a ainda ter doses da vacina   Foto: Carlos Nogueira/AT

Funcionários da prefeitura se revezam para organizar a espera do lado de fora da unidade, tentando colocá-los em área com sombra. Mesmo assim a situação estava complicada. Uma idosa teve queda de pressão,  passou mal e  teve de ser socorrida pelo Samu.


Já a aposentada Josefa Neide Santos, 78 anos, conta que decidiu tomar a vacina depois de perder o tio, de 82 anos, ara o coronavírus e ver um genro ser hospitalizado na UTI por conta da doença. Mas teve de aguardar  duas horas para ser imunizada.  "Esperei em pé e no sol. Peguei a fila perto da  Rua Henrique Soler. Não foi fácil. Mas é preciso. Essa doença é terrível. Só quem perde alguém que sabe como é".


A aposentada Rosalina Silva, 78 anos, também estava com grande expectativa para ser imunizada. Tanto que chegou a ir ao posto montado na igreja São Benedito, no Embaré, mas  o medicamento já havia acabado e foi direcionada para o Rebouças. Ela conta que a preocupação não é a toa. O genro dela, de   60 anos, está internado na UTI, em estado grave. Além disso,o marido tem comorbidade. "Tenho medo dessa doença e me preocupo muito com minha família. Eu precisava vir tomar a vacina o quanto antes". O posto funcionará até às 17 horas ou até acabarem as doses.


Logo A Tribuna