EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

7 de Julho de 2020

Funcionários e pacientes protestam contra estado precário do Caps do bairro Macuco, em Santos

Telhados quebrados são facilmente encontrados, o que facilita a entrada de bandidos, de acordo com os pacientes

Funcionários e pacientes do Centro de Apoio Psicossocial (Caps), no Macuco, em Santos, realizaram um protesto, nesta quinta-feira (6), por conta do estado precário do imóvel em que a unidade se encontra. Eles querem que a Prefeitura transfira a unidade para um outro local com melhor infraestrutura e segurança.

No Caps, que atende dependentes químicos, enfermaria e farmácia não funcionam há cerca de dois anos, desde que foram interditados pela Vigilância Sanitária, conta uma servidora que preferiu não se identificar. Telhados quebrados são facilmente encontrados, o que facilita a entrada de bandidos, de acordo com os pacientes. 

Infraestrutura do centro é muito criticada pelos moradores (Foto: Matheus Tagé/A Tribuna)

Após as fortes chuvas dos últimos dias, também há pontos cheios de água na unidade. Uma obra começou a ser executada pelo Município. Mas, devido a furtos, ela foi paralisada, explica o representante do Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas, Carlos Solano.

"Com isso, há banheiros interditados. Aqui não comporta nem obra. É preciso mudar para um local mais adequado e com atendimento 24 horas".

Em nota a Prefeitura de Santos disse:

A Secretaria de Saúde de Santos (SMS) informa que o Município está reestruturando as unidades da rede de Saúde Mental e já promoveu em julho de 2017 a mudança do Caps Centro (antigo Naps II) de imóvel em más condições estruturais na Avenida Conselheiro Nébias para novas e amplas instalações à Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 236 (Macuco); e, em outubro de 2019, inaugurou o novo equipamento Capsi #tamojunto, que integrou, ampliou e aprimorou os serviços voltados para crianças e adolescentes das regiões Central Histórica e Orla/Intermediária, além de outros investimentos na rede.

Agora, o foco é a melhoria da infraestrutura do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Álcool e Drogas – ZOI (adulto), localizado na Rua Silva Jardim, 354. O imóvel passa por reforma desde o final de novembro, com intervenções estruturais na farmácia, enfermaria, consultórios e demais espaços de convivência e administrativa. A obra é realizada dentro de ata de registro de preços para a manutenção de equipamentos públicos, no valor de R$ 41 mil, e a previsão de conclusão é para fevereiro.

Após a conclusão, será retomada a dispensação de medicamentos na unidade, atualmente realizada em unidade próxima (CAPS Centro, à Av. Rodrigues Alves, 236). A pasta está em processo de locação de novo imóvel, na mesma região do CAPS AD, para a transferência do serviço no primeiro semestre deste ano. O contrato de locação atual é renovado anualmente, com vigência prevista até 28 de agosto, podendo ser rescindido a qualquer momento sem prejuízo aos cofres públicos.

O andamento destas ações já foi compartilhado com os servidores e usuários da unidade em assembleias e reuniões realizadas no próprio CAPS AD e na sede da Secretaria de Saúde, e será tema de reunião nesta quinta (06) com o titular da pasta, Fábio Ferraz.

Tudo sobre: