Faixas vivas na orla de Santos são mais respeitadas por pedestres e condutores

Pesquisas da CET Santos apontaram aumento no percentual de pedestres que usam as faixas e de motoristas que respeitam

Por: Daniel Gois  -  15/03/22  -  20:20
89% dos pedestres entrevistados atravessaram na faixa viva na orla de Santos
89% dos pedestres entrevistados atravessaram na faixa viva na orla de Santos   Foto: Francisco Arrais/Prefeitura de Santos

Os pedestres e condutores de veículos que circulam pela orla de Santos têm tido mais atenção às faixas de pedestres sinalizadas como “vivas”, voltadas à travessia segura de pessoas. É o que afirma o diretor-presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de Santos, Antônio Carlos Silva Gonçalves, com base em uma pesquisa feita antes e após uma campanha de conscientização.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


A CET fez duas pesquisas em dez faixas vivas não semaforizadas nos bairros Pompeia, Gonzaga, Boqueirão, Aparecida e Ponta da Praia. A primeira ocorreu entre 27 de janeiro, pouco tempo após o começo da Operação Travessia Segura, e 4 de fevereiro, com 2.772 pedestres. A segunda pesquisa se deu entre os dias 3 e 10 deste mês, quando 2.879 pedestres foram entrevistados.


Entre um levantamento e outro, identificou-se que o índice de pedestres que atravessam na faixa viva passou de 76% para 89%.Entre um levantamento e outro, identificou-se que o índice de pedestres que atravessam na faixa viva passou de 76% para 89%.


Com base nas respostas de pedestres e em observações feitas por agentes da CET, concluiu-se que o percentual de motoristas que respeitavam as faixas com marcação específica subiu de 52% para 72%.


“A gente sabe que essa mudança não é instantânea, não é de uma hora pra outra, mas ela evolui. O objetivo final é que o cidadão atravesse na faixa e o motorista respeite a travessia”, diz Gonçalves.


Os dados também mostram queda no número de pedestres que esticaram um braço para pedir que motoristas parassem. Foram 16% na primeira pesquisa e 10% na segunda.


Nas duas pesquisas, quando perguntados sobre o que ainda falta para a campanha dar certo, os pedestres apontaram a conscientização do motorista como principal fator — 69% no primeiro levantamento e 58% no segundo. Conscientização do pedestre, multa aos motoristas e mais destaque na sinalização também foram mencionados.


Campanha na orla de Santos teve banners de orientação
Campanha na orla de Santos teve banners de orientação   Foto: Francisco Arrais/Prefeitura de Santos

Expansão

Antônio Carlos Silva Gonçalves afirma que a CET pretende expandir a campanha para todos os bairros nos próximos dois anos.


“Quando as pessoas são alertadas, elas reveem posturas e posicionamentos. O transito seguro depende tanto de pedestres como motoristas. Precisamos atingir essa plenitude o mais rápido possível para ter tranquilidade na Cidade. Esse mundo ideal para nós, em termos de trânsito, depende apenas da população”, destaca.


Travessia Segura

Entre 15 de janeiro e o último dia 6, agentes da CET orientaram como realizar a travessia pela faixa viva com segurança.


Usaram-se dez banners para chamar a atenção de motoristas sobre o respeito aos pedestres e cinco infláveis da campanha Faixa Viva. Os agentes também deixaram mensagens educativas em ônibus.


Foram realizadas 860 abordagens, que enfatizaram a necessidade de os pedestres esticarem um braço para manifestar o interesse em atravessar, aguardar que os veículos parem e, quando isso ocorrer, iniciar a passagem segura pela faixa.


Logo A Tribuna
Newsletter