EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Estado e prefeitura divergem sobre desabastecimento de vacina em Santos

Município está novamente sem doses contra a febre amarela

Parece até notícia repetida. Mais uma vez, a rede pública de Santos está sem vacinas contra a febre amarela. A Reportagem entrou em contato com diversas policlínicas e em todas elas obteve a mesma resposta: não há doses disponíveis. 

O detalhe é que, segundo a Secretaria de Saúde do Estado, não há motivo para o desabastecimento, já que há uma sobra de 1 milhão de doses à disposição das cidades. 

Já a Prefeitura de Santos explica que foram entregues 900 doses da vacina na quarta-feira (6), apesar de solicitadas 5 mil doses. E que as unidades serão abastecidas até esta sexta-feira (8).

Enquanto isso, o aposentado Claudio Magalhães, de 72 anos, não conseguiu a vacinação na policlínica José Menino/Pompeia. Diante do alerta sobre a falta de vacinas, voltou para casa e tentou se informar por telefone antes de sair novamente. 

No fim do mês, ele terá de viajar para Manaus (AM) e, para isso, precisa se imunizar o quanto antes para que o organismo produza anticorpos contra a doença antes que ele chegue ao destino.

“Eu perdi 1 hora no telefone para tentar descobrir onde poderia tomar a vacina. O pior é que, depois de todo esse tempo, continuo sem saber onde me vacinar”, explica Claudio. 

Segundo o aposentado, o problema é que as unidades não podem imunizar a população, por conta da falta de doses. “É um absurdo esse tipo de situação. Como é que pode faltar vacina para as pessoas?”. 

A professora Ivanise Monfredini, de 59 anos, que acompanhou o marido nessa saga, está indignada. “Descobrimos que as vacinas já chegaram, mas há apenas um carro para fazer a distribuição em todas as unidades. Por isso, a vacinação só será normalizada na segunda-feira [11]”.

A comerciante Valéria Sampaio, de 55 anos, que viajará para a mesma região, diz que foi pura sorte ter procurado uma unidade para tomar a vacina mais de um mês antes de viajar. “Isso é um crime. Já existe uma fama de que esse tipo de coisa acontece e justamente por isso vim cedo”.

Respostas 

A Secretaria de Saúde de Santos informa que tem recebido doses de vacinas abaixo do necessário por problemas de fornecimento do Ministério da Saúde, que foi procurado e não respondeu até o fechamento desta edição. “As doses recebidas não são suficientes para a demanda do Município, mas estão sendo distribuídas às 29 policlínicas até hoje [sexta-feira]”, diz nota enviada à redação. 

A Secretaria diz ainda que solicita periodicamente o aumento da cota de doses da vacina contra febre amarela para 5 mil por mês, como em e-mail enviado em 29 de outubro à direção regional do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE), do Governo Estadual. 

Aplicação 

Segundo a prefeitura, de janeiro a agosto deste ano, a cidade aplicou 19.536 doses, média mensal de 2,5 mil doses aplicadas por mês. 

Já a diretora de imunização da Secretaria Estadual de Saúde, Nubia Araújo, garante que o Estado está plenamente abastecido de doses contra febre amarela. 

“Desde a última epidemia, tivemos uma sobra de mais de 1 milhão de doses. Santos está sendo atendido dentro da demanda média. Desconhecemos o pedido de 5 mil”. 

Ela concorda que não pode faltar vacina e diz que não há motivo para desabastecimento. “Deve ter alguma falta de planejamento. Se forem necessárias mais doses, não há problema para abastecer”. 

Na região 

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, não foram registrados casos de pessoas ou macacos com febre amarela este ano. O índice de imunização no estado é de 72% e, quem ainda não tomou a vacina, deve se dirigir ao posto de saúde mais perto de casa, já que o risco de contrair a doença é real. Quem for viajar deve garantir a proteção pelo menos 10 dias antes de embarcar. 

Tudo sobre: