Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Desrespeito e desorganização: Idosos sofrem para obter vacina contra o coronavírus em Santos

Idosos com mais de 85 anos chegaram a passar mal por conta das longas filas enfrentadas na cidade

Por: Por ATribuna.com.br  -  11/02/21  -  15:10
Na policlínica da Pompeia os idosos chegaram a esperar mais de duas horas para tomar a vacina.
Na policlínica da Pompeia os idosos chegaram a esperar mais de duas horas para tomar a vacina.   Foto: Matheus Tagé/AT

O início da vacinação contra a Covid-19 para idosos a partir dos 85 anos em Santos, no litoral de São Paulo, foi marcada por extrema desorganização e desrespeito. ATribuna.com.br recebeu dezenas de reclamações de moradores, alguns em tom de desespero, relatando que idosos chegaram a desistir de serem imunizados apesar da enorme expectativa.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Além das filas quilômetricas e desorganizadas flagradas pela reportagem, o excesso do calor acabou fazendo com que alguns idosos se sentissem mal e fossem retirados dos locais pelos familiares. Há relatos de pessoas que ficaram mais de três horas aguardando a imunização e não conseguiram receber a vacina contra a Covid-19.


Na policlínica da Pompeia os idosos chegaram a esperar mais de duas horas para tomar a vacina. E eles acabaram ficando no sol e calor. O local cedeu cadeiras, mas elas não foram suficientes para todos.


Policlínica da Pompéia disponibilizou cadeiras, mas não foram suficientes para todos os idosos.
Policlínica da Pompéia disponibilizou cadeiras, mas não foram suficientes para todos os idosos.   Foto: Matheus Tagé/AT

Foram distribuídas 187 senhas até às 11 horas para que os idosos pudessem se vacinar. O funcionário público Marcos de Oliveira Rossi, de 64 anos, disse que ficou desde 9:30 com a mãe na fila. A aposentada Ivany de Oliveira Rossi, de 87 anos, ficou no calor.


De cinco em cinco, os idosos eram imunizados numa sala climatizada. Do lado de fora, porém, o problema foi que a fila mudou de lugar, segundo Rossi. “Estávamos formando fila sentido (Rua) República Argentina, porque há sombra pra lá. Mas mandaram a gente ir pro outro lado, no sol. Terrível”, disse ele, explicando que há um bar com toldo na esquina e árvores pro lado da outra quadra, diferentemente da Rua Ceará sentido Avenida Francisco Glicério, onde não há.


Moradores chegaram a relatar atitudes desrespeitosas por conta de Guardas Municipais que circulavam nas proximidades da Policlínica da Pompeia. "Um dos guardas, rindo da situação, afirmou que todos deveriam ir para a praia tomar Sol e receber Vitamina D, já que também é importante para a saúde. Um comportamento lamentável", afirmou um morador que preferiu não se identificar.


A situação foi parecida na policlínca do Gonzaga. A aposentada Raimunda Conceição, de 85 anos, permaneceu na fila no posto de saúde até ser instruída a pegar uma senha, por volta das 10h45. Ao tentar pegar a senha, a idosa foi informada de que não estavam disponibilizando novas senhas.


"Só me falaram que não tinha mais senhas. Não informaram se poderia retornar amanhã ou depois, simplesmente não informaram nada. Muita aglomeração de idosos na policlínica, correndo o risco de contrair o vírus", disse.


Na Arena Santos, onde foi organizado um 'drive-thru', a situação foi caótica. Filas gigantescas se formaram antes mesmo do início da vacinação. Por volta das 5h, uma grande quantidade de carros já aguardava no local. Em determinado momento, as filas chegaram na altura da Avenida Conselheiro Nébias. A CET tentou, mas não conseguiu organizar a situação por conta de motoristas que furavam filas.


No total, além do drive-thru, 28 policlínicas foram disponibilizadas para a vacinação. A antecipação para os idosos com até 85 anos ocorreu por conta da chegada de um novo lote com 15.599 doses. Cerca de 6 mil são voltadas exclusivamente aos idosos, enquanto o restante para profissionais de saúde da linha de frente.


A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que, ao longo desta manhã, realizou o remanejamento de equipes para as unidades com maior concentração de pessoas para atender à grande procura pela vacinação.


O que diz a prefeitura


Em todas as policlínicas, foram distribuídas senhas para que os munícipes não permanecessem na fila desnecessariamente. O SAMU ficou de prontidão para prestar atendimento médico a quem precisasse. Para dar maior conforto aos idosos com dificuldade de locomoção foi ofertado o sistema drive thru, na Arena Santos.


A Prefeitura informa que o trânsito para o drive thru instalado na Arena Santos (Av. Rangel Pestana, 184 - Vila Mathias) encontra-se normal, neste momento, sem filas externas. No local continuam sendo aplicadas doses da vacina a idosos, a partir de 85 anos, até às 15h.


A SMS esclarece, ainda, que as grandes filas e o acúmulo de pessoas nas unidades devem-se também à grande concentração de munícipes na porta das unidades muito antes das 8h, horário do início da vacinação, e ao fato de a maioria dos idosos ir às policlínicas com acompanhante. A pasta assegura que o procedimento de vacinação dura, em média, apenas cinco minutos.


A Prefeitura destaca que o prefeito de Santos e presidente do Condesb, Rogério Santos, já solicitou ao Governo do Estado o envio de mais vacinas para atender a demanda do Município e da região.


Resposta da Guarda Civil Municipal


Informamos que a Guarda Civil Municipal (GCM) já acionou a Corregedoria e, caso comprovado o que foi exposto na matéria, o responsável receberá sanção administrativa disciplinar.


Logo A Tribuna