Confeiteira tem bicicleta de trabalho furtada em Santos: 'Essa bike tem muita história'

Para não parar de trabalhar, Fernanda Augusto tem levado as caixas de doce a pé, mas espera recuperar o veículo em breve

Por: Carolina Faccioli  -  08/01/21  -  12:14
Fernanda Augusto usava a bicicleta para carregar as caixas de doce
Fernanda Augusto usava a bicicleta para carregar as caixas de doce   Foto: Arquivo Pessoal

Em 2013, a confeiteira Fernanda Augusto, de 40 anos, decidiu seguir um novo sonho: passou a vender doces pelas ruas de Santos. Com o investimento de tempo e dinheiro, o projeto foi crescendo e em 2015 ela decidiu comprar uma bicicleta para vender os doces pela cidade.


Hoje o negócio concentra boa parte da renda da família de Fernanda. Porém, após a bicicleta ter sido furtada, a confeiteira ficou na mão e agora espera recuperar o instrumento de trabalho.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A moradora do Paquetá conta que decidiu trabalhar com os doces para ficar mais perto dos filhos e, depois de alguns meses vendendo os doces em uma mesa montada na Avenida Conselheiro Nébias, decidiu investir no veículo. Desde então, a bicicleta era usada para carregar as caixas de doces pelas ruas da cidade.


Fernanda levava os doces na bicicleta para vender pelas ruas de Santos
Fernanda levava os doces na bicicleta para vender pelas ruas de Santos   Foto: Página Viver no Morro e região

No último domingo (3), dia do furto, Fernanda conta que deixou o veículo trancado com um cadeado no corredor de seu apartamento, dentro do prédio onde mora. Porém, uma pessoa entrou no prédio, cerrou a corrente e levou a bicicleta.


"Eu amo muito o que eu faço e gosto muito da minha bike. Quando minhas filhas abriram a porta e viram que a bike não estava lá me deu uma tristeza muito grande no coração. Não é nem a questão financeira, de comprar outra bicicleta, porque realmente ela tem uma história. Eu realmente amo o que eu faço. Eu chego nos lugares com essa bike rosa, toda bonitinha e estilizada chama atenção das pessoas e as pessoas ficam felizes, né. Elas acham bonito e aquilo faz com que elas sintam vontade de comprar e muitas pessoas que eu conheço hoje em dia além de serem clientes se tornaram meus amigos", conta a cozinheira.


O furto mobilizou diversas pessoas que compartilharam a situação pelas redes sociais em busca do paradeiro da bicicleta. Para não parar de trabalhar, Fernanda tem levado as caixas de doce a pé, mas espera recuperar o instrumento de trabalho em breve.


"Essa bike tem muita história. Eu tenho planos pro futuro e essa bike está incluida nesses planos, então é bem afetivo mesmo. Não é só a questão do dinheiro. Sem contar que essa bike carrega meus sobrinhos pro karatê, vou pra praia com meus netos na bike... Estou sempre dando uma repaginada, pintando, reformando as caixas, porque realmente é uma coisa que eu gosto de fazer. Eu gosto muito do que faço e minha bike tem a ver com tudo isso", completa.


Logo A Tribuna