EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

20 de Janeiro de 2020

Casa do Trem Bélico fecha para grande restauração

Prefeitura pagará R$ 549 mil pelas obras no ponto turístico, que deve ser entregue em 4 meses

Mais antiga construção em Santos, a Casa do Trem Bélico, no Centro, passará por uma grande restauração, que a manterá fechada à visitação por quatro meses. As obras começarão na próxima segunda-feira, com a remoção e embalagem do acervo.

Há uma incerteza quanto à data de construção do imóvel. Algumas pesquisas indicam que ele foi erguido entre 1640 e 1656. Outras apontam que ele é de 1734.

A Prefeitura publicou nesta segunda-feira (13), no Diário Oficial, a homologação do contrato com a Construtora Tecnibras, vencedora de licitação na modalidade tomada de preço. Os serviços custarão R$ 549 mil ao Município, incluindo mão de obra, materiais e equipamentos. 

Independentemente da contradição em relação à data de fundação, a edificação continua como a mais antiga e, até mesmo por esse motivo, reformas e manutenções periódicas são necessárias, segundo a arquiteta chefe do Departamento de Planejamento de Execução de Obras (Depleo) da Secretaria de Infraestrutura e Edificações da Cidade, Maria Valéria Affonso dos Santos. 

De acordo com ela, no começo do ano passado, a Casa do Trem Bélico já havia passado por obras, mas, devido às chuvas e à proximidade com a Avenida Perimetral, cuja trepidação do solo pela passagem de caminhões prejudica o prédio, novas intervenções são fundamentais. 

Reforma 

Entre os serviços que serão realizados, estão a restauração das fachadas, recomposição de portas e janelas, reforma do telhado e beiral, limpeza e recuperação da rampa, gradis e escada caracol interna. 

Também será trocado o vidro da cobertura que interliga o prédio principal ao anexo. O piso e o teto de madeira passarão por envernizamento e a iluminação externa será substituída. 

Maria Valéria explica que o ponto turístico terá um sistema de monitoramento por câmeras e remodelação da calçada do entorno. O mesmo, segundo ela, será feito nos demais equipamentos públicos que passarão por intervenções.

Reformas

Além da Casa do Trem Bélico, outros prédios históricos santistas serão reformados: Sala Princesa Isabel, 5º andar do Paço Municipal, Museu Pelé, Procuradoria Fiscal, os teatros Coliseu e Guarany e o Outeiro de Santa Catarina. A expectativa é que todos estejam completamente restaurados até o ano que vem. 

De acordo com Maria Valéria, a grande dificuldade em trabalhar com imóveis históricos e tombados é “fazer as intervenções necessárias sem descaracterizar as estruturas”. 

Tudo sobre: