Caminhoneiros autônomos protestam em frente à garagem da Piracicabana, em Santos

Motoristas foram cobrar, neste sábado (11), explicações sobre folga concedida para que funcionários da empresa votassem para a presidência do Sindicato dos Autônomos. Manifestantes alegam interferência política

Um grupo de caminhoneiros autônomos realizou um protesto, na manhã deste sábado (11), na porta da garagem da Viação Piracicabana, que fica próxima à Santa Casa de Santos. Os manifestantes acusam a operadora de transportes de ter concedido folga a funcionários registrados pela empresa para que eles votassem para a presidência do Sindicato dos Transportadores Rodoviários de Bens da Baixada Santista e do Vale do Ribeira (Sindicam), no último sábado (4).

"Queremos saber por que o encarregado da Piracicabana deu folga para os motoristas que são CLT irem ao sindicato para votar", disse uma pessoa presente na manifestação, apoiadora da Chapa 1, que foi derrotada na eleição, em entrevista para ATribuna.com.br. O Sindicam representa os transportadores autônomos do Porto de Santos.

De acordo com esse manifestante, a revolta dos caminhoneiros autônomos não se restringe aos empregados da Piracicabana. "A indignação é pela presença de motoristas de empresas de ônibus, tudo macumunados com os encarregados dessas empresas, para votar na Chapa 2, a que venceu. Sabemos que tinham políticos no meio desta maracutaia", desabafou.

No protesto, manifestantes, aos gritos, cobravam explicações da Picacicaba. Os autônomos alegam interferência política de companhias de ônibus na votação do Sindicam.

A redação de ATribuna.com.br entrou em contato com a Piracicabana, mas até o momento não obteve retorno. O espaço segue aberto.

Tudo sobre: