EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

17 de Agosto de 2019

Cachorro é atração em posto de gasolina e encanta clientes e funcionários

Beethoven fica no estabelecimento localizado na esquina da Avenida Washington Luís com a Rua Luís de Faria, no Gonzaga

Ainda jovem, ele apareceu durante uma reforma do posto de gasolina, que fica na Avenida Washington Luis, no Gonzaga, e por lá está até hoje, todos os dias, sem folgas, recebendo a todos sempre com alegria. E os clientes nem ligam se são recebidos aos latidos, pois o funcionário-padrão é bem diferente dos demais frentistas. Trata-se do cão Beethoven, um vira-lata que ao longo dos anos acabou virando a atração do local.

De acordo com os funcionários, ele apareceu no estabelecimento há cerca de 12 anos e foi ficando. Eles tentaram descobrir se o animal tinha dono, e como ninguém foi localizado, o proprietário autorizou a permanência. Daí à adoção foi um pulo bem curto e ele passou a fazer parte do quadro de frentistas, ganhando inclusive um crachá com foto e nome.

Hoje, com 14 anos estimados e com tanto tempo de casa, ele já é considerado um funcionário sênior, com regalias que poucos têm. Sem ter que bater ponto, ele vai sozinho duas vezes ao dia no petshop que fica na mesma quadra do posto em busca de petiscos.

Já no posto, além de ração de primeira e água, ele ainda pode escolher onde vai descansar, pois tem uma cama num cantinho do térreo e outra, para os dias mais quentes, arrumadinha no escritório do segundo andar, com ar-condicionado. O tratamento VIP e a posse responsável incluem castração, visitas regulares ao veterinário e calendário de vacina atualizado.

Tranquilidade

Tantos cuidados resultam em um cão tranquilo, que acompanha os colegas de trabalho e faz festa para os clientes que dão trela para ele. Apesar de ser criado solto, de noite ele sai para passear com o funcionário Marcos Wilson, que é considerado o “pai” de Beethoven.

“Ele é o nosso mascote. As pessoas já não se referem mais ao local como o ‘posto do Canal 3’. Já virou o ‘posto do Beethoven’ e muita gente vem aqui só para vê lo”, conta o gerente Jorge Luiz Gomes sobre a fama do cachorro, que costuma atrair fregueses.

Quando se tenta puxar papo sobre aposentadoria com bichinho, talvez pelos papos que ele ouve no café da loja de conveniência, Beethoven dá dois latidos fracos, vira de costas e sai balançando o rabo, como se já soubesse que, assim como boa parte dos brasileiros, vai trabalhar ainda por muitos anos até garantir o descanso merecido.