EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Câmara de Santos pede à Prefeitura cessão do colégio Acácio, na Vila Nova

Ideia é implantar na unidade a Escola do Legislativo e da Cidadania, além de ampliar instalações administrativas

A novela que se arrasta sobre a destinação do colégio Acácio de Paula Leite Sampaio, na Vila Nova, em Santos, parece estar próxima do fim. A Câmara apresentou à Prefeitura uma proposta de utilização do imóvel localizado na Rua Sete de Setembro. 

Parte do espaço manterá a finalidade para a qual foi projetada: a ideia é implantar a Escola do Legislativo e da Cidadania, voltada à capacitação de servidores e oferta de cursos à população. O pedido para assumir o prédio partiu do presidente da Casa, vereador Rui de Rosis (MDB), ao prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), na quinta-feira. 

Os planos são de também ampliar as instalações administrativas da Câmara, já que o Castelinho, sede do Legislativo santista, não tem área para isso. Por ser um imóvel pertencente ao patrimônio municipal, não há necessidade de pagamento pela transferência. 

“Com essa medida, a gente consegue resolver dois problemas: resgata um patrimônio da Cidade, dá vida a ele, e amplia os espaços legislativos, já que o Castelinho não tem mais espaço para todas as atividades da Câmara”, afirma Rosis. 

A Câmara pretende investir na recuperação estrutural do imóvel, que está avaliada em pouco mais de R$ 9 milhões. O local será adaptado para receber novos setores, como os departamentos da TV Legislativa, de Gestão e Controle, de Transparência. “Assumir o prédio é importante para concluir o seu processo de readequação administrativa, com novos servidores contratados em concurso público, novas atribuições de controle e participação popular” continua o presidente do Legislativo.

O parlamentar explica que assumir a área é estratégico para a Câmara, que vinha estudando a construção ou a compra de um novo prédio para complementar sua estrutura atual. A unidade escolar desativada fica somente a cerca de 100 metros da sede da Câmara. 

Iniciativa foi do vereador Rui de Rosis (Foto: Irandy Ribas/ AT)

O prefeito afirma ter recebido “muito bem a manifestação do presidente do Legislativo” de assumir o espaço. Ele ressalta que a Administração santista mantém estudos de alternativas para o prédio, que é um marco da escola paulista de arquitetura. 

A escola Acácio está com as portas fechadas desde 2013, quando a Prefeitura fez a cessão do imóvel para o Governo do Estado. Na ocasião, o plano era instalar no local a terceira unidade da Escola Técnica Estadual (Etec) de Santos – a Cidade já conta com cursos públicos na Escolástica Rosa, no Centro, e Aristóteles Ferreira, no bairro da Aparecida. 

Contudo, por falta de recursos para a reforma da unidade escolar, o Centro Paula de Souza (CPS) oficializou em junho pedido de devolução do imóvel. 

 

Tudo sobre: